Turismo

Home/ Notícias Online/ Turismo/ Das Cataratas a Fernando de No...

Das Cataratas a Fernando de Noronha

Publicada em : 08/03/2012

Cataratas do Iguaçu S/A ganha concorrência e leva sua expertise para um dos santuários ecológicos mais importantes do mundo

Após uma gestão de sucesso no Parque Nacional do Iguaçu, a Cataratas do Iguaçu S/A leva o seu know-how para outro importante destino turístico brasileiro. A empresa venceu a concorrência pública para gerenciar o ingresso de visitantes no Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (PE). A administração do parque continua sob responsabilidade do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO). O trabalho da Cataratas S/A já é modelo para outras unidades de conservação do Brasil, tendo recebido 93% de aprovação na avaliação do Ministério do Meio Ambiente.

EcoNoronha

O objetivo da EcoNoronha, filial da Cataratas do Iguaçu S/A que administrará a concessão no PNMFN, é implantar e operar atrações que, somadas à riqueza natural do parque, venham a construir um complexo capaz de recuperar, melhorar e ampliar a atratividade turística, proporcionando uma visitação de maior qualidade. O período da concessão é de 15 anos, sendo possível, com um bom trabalho, postergar mais cinco anos.

Dessa forma, o investimento será intenso. A previsão para o biênio 2012-2013 é de R$ 8 milhões, que serão investidos nas áreas de concessão que compreendem o Mirante dos Golfinhos, Mirante Dois Irmãos/Baia dos Porcos, a praia do Sancho, Sueste, Leão, Atalaia e Caieiras, bem como oito trilhas que levam a estes pontos de visitação. No Centro de Visitantes da ilha, que será reformado pelo ICMBIO, a EcoNoronha terá a responsabilidade de implantar e manter uma exposição permanente, um balcão de informações, loja de lembranças e uma lanchonete. Além disso, a empresa construirá a sua Sede Administrativa na ilha.

Entre as melhorias previstas estão a implantação de cinco Pontos de Informação e Controle (PIC) no acesso às praias do Golfinho, Sancho, Sueste, Leão e Caieiras. Nestes PICs, o turista poderá usufruir de uma infraestrutura que contará com estacionamento, sanitários, duchas, guarda-volume, locação de bicicleta para passeio pelas trilhas, equipamentos de mergulho livre (snorkel, máscara e nadadeiras), mapas, lanchonete e loja de souvenires.

Além disso, a EcoNoronha vai melhorar as vias de acesso aos mirantes, com intervenções e construções de trilhas suspensas e decks em pontos pré-determinados pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), que administra o PNMFN. A empresa também contratará monitores para fornecer informações aos visitantes no Centro de Visitantes e nos PICs.

Obras

Atualmente, já estão sendo realizadas ações de manutenção das trilhas existentes em Fernando de Noronha e o treinamento e formação de monitores especializados para atendimento aos turistas. As obras de construção dos PICs e trilhas estão divididas em três fases:

1ª Fase: Neste primeiro momento serão construídos os PICs do Golfinho; do Sueste, que também contará com um deck para observação; do Leão, que terá um mirante; e a trilha do Golfinho. Esta fase terá início em fevereiro e tem previsão de término em seis meses.

2ª Fase: Neste período serão realizadas a obra da Sede Administrativa, o PIC e trilha do Atalaia. Esta fase também deve durar seis meses e iniciará após o término da 1ª fase.

3ª Fase: Compreende a revitalização do Centro de Visitantes, onde será montada a Exposição Ambiental. Além disso, a praça central também será revitalizada. Para esta fase, é necessário, primeiro, que o ICMBio finalize as reformas básicas do Centro de Visitantes.

Uma novidade para os portadores de necessidades especiais é que a trilha do Golfinho, que tem aproximadamente 1,5 km de extensão será totalmente acessível para cadeirantes.

Ingresso

Conforme a Portaria nº 135 de 30 de dezembro de 2010, do Ministério do Meio Ambiente e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), o turista pagará um ingresso único no valor de R$65,00 para brasileiros e R$130,00 para estrangeiros para um período de dez dias. Crianças abaixo de 11 anos e idosos acima de 60 anos, têm isenção, bem como os moradores da ilha. A cobrança tem previsão de início para o mês de abril.

Fonte:NQM Comunicação