Turismo

Home/ Notícias Online/ Turismo/ Instituto Municipal de Turismo

Instituto Municipal de Turismo

Publicada em : 02/08/2017

Greca inaugura nova sede

Divulgação
Um dos mais importantes atrativos turísticos de Curitiba, o Centro Histórico ganhou um importante reforço nesta sexta-feira (28/07). O Instituto Municipal de Turismo de Curitiba oficializou sua mudança para o Palacete Wolf, patrimônio histórico da cidade, localizado em frente à Igreja do Rosário.

O prefeito Rafael Greca se emocionou ao relembrar a longa história do imóvel. Entre sua construção, em 1876, e o episódio do aprisionamento do Barão do Serro Azul, Greca passou por diversos momentos importantes vividos no edifício e na região. "O Palacete Wolf, casarão histórico que foi sede da Fundação Cultural de Curitiba até 2006, agora é casa do turismo", disse.

Greca também destacou que Instituto deixa de pagar R$ 35 mil mensais de aluguel, uma vez que deixa um imóvel alugado para ocupar o prédio que é da Prefeitura de Curitiba. "A mudança, além de inserir o órgão responsável pelo turismo da cidade no Centro Histórico de Curitiba, local de grande fluxo de turistas, gera também economia para a cidade", completou.

A novidade também representa um enriquecimento da estrutura de recepção do turista da capital. O novo endereço vai contar com um Posto de Atendimento ao Turista, uma carência do setor na região. A presidente do Instituto Municipal de Turismo ressaltou que a mudança para a nova sede possui diversos significados. "Além da nossa presença numa região estratégica para o turismo, temos o melhor emprego dos recursos públicos", comentou.

Estiveram presentes o vice-prefeito e secretário Municipal de Obras e Infraestrutura, Eduardo Pimentel; o presidente da Fundação Cultural de Curitiba e secretário de Comunicação Social, Marcelo Cattani; o secretário de Abastecimento, Luiz Gusi; o assessor de Relações Internacionais da Prefeitura de Curitiba, Rodolpho Zannin; o representante das escolas de samba e membro do conselho municipal de cultura na área de patrimônio histórico artístico e cultural, Marcio Marins de Jogun; o líder do governo na Câmara, Pier Petruzziello, e os vereadores, Geovane Fernandes, Julieta Reis, Osias Moraes e Rogério Campos.

História
Os Wolf, de origem austríaca, requereram em 1875 "cem palmos" de terreno no Largo do Rosário para construir um casarão que teria finalidade de ser local de reuniões sociais da família, já que esta residia em uma chácara nos arredores da cidade.

Entre 1889 e 1895, o prédio serviu de quartel-general do 5º Distrito do Exército Brasileiro. No porão do edifício ficou rendido o Barão do Serro Azul, até a decisão de ser enviado ao Rio de Janeiro e se consolidar seu fim trágico.

No decorrer dos anos, no prédio se sucederam diversos locatários, o Colégio Bom Jesus, a Câmara Municipal, escola particular de música, livraria e um escritório de engenharia. Em 1974, Jaime Lerner, então prefeito de Curitiba, tomou a iniciativa de promover sua desapropriação para ali instalar a recém-criada Fundação Cultural, contratando naquele mesmo ano os arquitetos Cyro Corrêa de Oliveira Lyra e José La Pastina Filho.

Fonte:Mario Malschitzky