Saúde

Home/ Notícias Online/ Saúde/ Centro de São Paulo dá largada...

Centro de São Paulo dá largada à primeira Virada da Saúde

Publicada em : 10/04/2015

Iniciativa vai aproximar população do tema saúde e da importância de viver em ambientes saudáveis e sustentáveis



A Praça do Patriarca (Centro) deu início oficial, na manhã desta terça-feira (7/4) – Dia Mundial da Saúde -, à primeira Virada da Saúde da cidade de São Paulo, que se estenderá até 12 de abril. Trata-se de uma iniciativa da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), em parceira com o Instituto Saúde e Sustentabilidade. O objetivo é aproximar a sociedade do tema saúde e da importância de viver em um ambiente saudável e sustentável nos grandes centros urbanos.

Quem passou pela praça pôde participar de atividades como alongamento, Tai Chi Pai Lin, Lian Gong e artesanato. Profissionais da Unidade Básica de Saúde (UBS) República distribuíram folhetos informativos sobre alimentação saudável, prevenção às Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), aids e combate ao Aedes aegypti – mosquito transmissor da dengue e da febre chikungunya. Também houve distribuição de preservativos masculinos e femininos e gel lubrificante.

‘Reforço da boa política pública de saúde’

O secretário municipal de Saúde José de Filippi Jr. frisou a importância da Virada da Saúde para conscientização e promoção da saúde da população da cidade. “É mais um reforço daquilo que nós entendemos que é a boa política pública de saúde. É mais um momento para lembrar que a prevenção e a promoção à saúde é a primeira abordagem, é a abordagem mais correta, é aquilo que todos nós devemos procurar. Isso mostra que a sociedade, as instituições preparadas para isso, como a SMS e os cidadãos de maneira geral, estão tendo êxito de ter uma vida saudável... A prevenção e promoção da saúde são os binômios que a gente reforça em atividades como essa”, disse Filippi.

Também compareceu ao evento o vereador Paulo Frange, autor do Projeto que deu origem à Lei Municipal (PL) 26/2009, que instituiu a Virada da Saúde na cidade de São Paulo. “Essa proposta é, na verdade, nossa responsabilidade como médico de trazer para dentro do poder Executivo essa oportunidade. O objetivo é promover saúde e saúde plena”, disse o vereador.

Evangelina Vormittagg, presidente do Instituto Saúde e Sustentabilidade, classificou a primeira edição da Virada da Saúde como “um presente” para a cidade. “É uma oportunidade que as pessoas têm em pensar sua saúde, ampliar seu conhecimento e se conscientizar para que possa melhorar sua própria saúde. E, mais do que isso, usando o espaço da cidade sem gastar um tostão a mais”, afirmou Evangelina. “São mais de trezentas atividades espalhadas pela cidade, em todas as regiões. A gente teve a preocupação de espalhar por todas as regiões e atingir toda a população de São Paulo, para que não precisasse se locomover e recebesse a oportunidade de fazer sua própria ação no local ou próximo de onde mora”, finalizou.

A Prefeitura organizou as ações utilizando toda a máquina de saúde e o Instituto organizou e articulou todos os outros atores da sociedade, como empresas, organizações civis, associações de classe, faculdades, escolas que realizam as atividades. “São mais de trezentas atividades divididas em quatro eixos principais”, comentou a presidente do Instituto Saúde e Sustentabilidade.

‘Deveria acontecer todos os dias’

A personal trainer Darça Ferreira dos Santos participou das atividades corporais junto com a população. “Essas atividades contribuem para as pessoas melhorarem a qualidade de vida. Quem pratica sente menos dores e complementa o tratamento medicamentoso. A medicina tradicional chinesa entra na área da saúde para complementar o que a pessoa já usa para ter uma qualidade de vida boa, para viver muito e com qualidade de vida. A Virada da Saúde deveria acontecer todos os dias”, disse Darça.

‘Olho de deus’
Entre as atividades é possível destacar também o artesanato. Durante a abertura da Virada os agentes comunitários de saúde orientaram a população no desenvolvimento do “Olho de deus”, um trabalho artesanal oriundo da cultura mexicana. No México, quando nasce uma criança, o pai começa a tecer uma espécie de mandala com lã. O objetivo é que em cada volta, ele forme pensamentos positivos em relação ao filho. Isso é feito até os cinco anos, ao longo desse tempo, o pai ensina a criança a fazer o “Olho de deus”, transmitindo a cultura de geração a geração.

De acordo com a agente comunitária de saúde da UBS República, Armandina Sarmento Pereira, de 45 anos, essa atividade é realizada com os idosos, pois trabalha a coordenação motora e atua como terapia. “A gente consegue fazer com que os idosos, naquele momento da atividade, se livrem do estresse. No trabalho compartilhado, eles conseguem sair da unidade com o pensamento melhor. É como se eles conseguissem se isolar de todos os problemas e conseguissem viver um momento de tranquilidade”, explicou Armandina.

Programação

As atividades acontecerão simultaneamente em diversos parques da cidade. Fábricas de Cultura Sesi/FIESP e Itaú Cultural também participarão da programação, além de centros culturais, museus e a rua, que será palco de atividades lúdicas e propostas inéditas nesse tema.
Mais informações: www.facebook.com/viradadasaude
Compartilhe seu conteúdo com a hashtag #ViradadaSaude.

Fonte:Prefeitura de São Paulo