Saúde

Home/ Notícias Online/ Saúde/ Risco de infarto é maior em al...

Risco de infarto é maior em algumas profissões

Publicada em : 11/07/2013

Alerta é de cardiologista do Hospital do Servidor Público Estadual


Policiais civis, jornalistas, professores e outras profissões que geram estresse no dia a dia são mais suscetíveis a problemas cardíacos, como infarto do miocárdio. O alerta é do médico João Pimenta, diretor do Serviço de Cardiologia do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), unidade vinculada ao Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe).

O hospital, na zona sul da capital paulista, registra uma média de 20 internações por semana decorrentes de infarto. Segundo o especialista, em cerca de 60% dos casos, a doença coronariana atinge homens com média de idade de 70 anos.

Pimenta afirma que a característica se deve à genética do homem. “Ele é geneticamente favorável ao infarto e problemas no coração. É também mais vulnerável ao estresse do dia a dia, especialmente quando exerce certas profissões”, alerta o médico do HSPE.

O infarto ocorre quando parte do coração deixa de receber o fluxo sanguíneo do corpo, ficando sem sangue por um tempo prolongado. Sem o fluxo, o coração deixa de receber nutrientes e oxigênio necessários para funcionar corretamente.

 “Quando isto ocorre, há sérios danos ao músculo do coração, na maioria das vezes irreversíveis”, explica Pimenta. O bloqueio ocorre por diversos motivos, principalmente pelo acúmulo de gordura nas paredes das artérias.

  O sintoma mais comum é a dor no peito, como uma compressão que se espalha pela mandíbula e/ou pelos ombros e braço esquerdo, que geralmente dura cerca de trinta minutos, acompanhada de náuseas, vômitos, tontura, suor e grande sensação de mal-estar.

Ao surgirem os primeiros sintomas, é importante que se busque socorro imediatamente. “É importante evitar andar, procurar não se exercitar nem carregar peso e não dirigir. Salvo por recomendação médica, não comer nem beber nada também até chegar o socorro”, reitera o médico.

A melhor forma de evitar o infarto e outras doenças cardíacas é ter uma vida saudável. Fatores de risco, como fumo, vida sedentária, estresse, diabetes e níveis altos de colesterol, aumentam as chances de danos irreversíveis para o corpo.

Fonte:Iamspe