Saúde

Home/ Notícias Online/ Saúde/ Seconci-SP

Seconci-SP

Publicada em : 14/03/2017

alerta para Perda Auditiva Induzida por Ruído

Divulgação
Cerca de 360 milhões de pessoas no mundo sofrem com alguma perda auditiva, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O número corresponde a 5,3% da população mundial. Segundo censo realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 9,7 milhões de brasileiros possuem deficiência auditiva (DA), o que representa 5,1% da população brasileira. Deste total, cerca de 2 milhões possuem a deficiência auditiva severa (1,7 milhões têm grande dificuldade para ouvir e 344,2 mil são surdos), e 7,5 milhões apresentam alguma dificuldade auditiva. Ainda de acordo com o estudo, os mais afetados são jovens e adultos.

Segundo a otorrinolaringologista do Seconci-SP (Serviço Social da Construção), Adriana Albarello, qualquer alteração que comprometa a condução dos estímulos sonoros, de alguma forma, acarreta perda de audição. “O hábito de ouvir música em alto volume, pelo uso excessivo de fones de ouvido, doenças infecciosas, como herpes, rubéola e meningite, uso de alguns medicamentos e causas de origem genética também podem causar problemas auditivos”, afirma a especialista.

Ela explica que quando o ruído é intenso e a exposição a ele é continuada, em média 85 decibéis por oito horas por dia, ocorrem alterações estruturais na orelha interna, que determinam a ocorrência da Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR).

Há dois tipos de perda auditiva, alerta a médica. “A perda auditiva condutiva é provocada por um problema mecânico que bloqueia a condução das vibrações na orelha externa ou média. Já a perda auditiva neurossensorial é quando a lesão é na cóclea, no nervo auditivo ou nas vidas que ele percorre até alcançar o cérebro”, explica. Adriana Albarello também reforça a importância da cerume (cera de ouvido).  “Produzida pelas glândulas ceruminosas, localizadas na parte mais externa do canal auditivo, a cera tem função antifúngica e antibacteriana que protege a região. Além disso, evita que o excesso de água entre no ouvido e ajuda a lubrificá-lo”, diz.

A cera não deve ser removida, pois em geral é produzida e expelida naturalmente, recomenda a dra. “O excesso de cera é raro e, nesse caso, apenas um médico pode removê-lo”, afirma a otorrinolaringologista.

“O zumbido ou sensação de ouvidos tampados pode ser um sintoma de perda auditiva”, complementa.

Para evitar a perda auditiva, a médica indica algumas recomendações:

•  Mantenha os ouvidos sempre limpos, mas sem excesso, pois o cerume também tem função protetora;
•  Faça limpeza com uma toalha após o banho;
•  Não coloque corpos estranhos e líquidos dentro do ouvido;
•  Evite usar objetos para coçar o ouvido, pois eles podem causar traumas graves;
•  Para evitar a otite, comum em bebês e crianças, evite dar mamadeira quando estiverem deitados e fique atento aos sinais dos sintomas da doença;
•  Evite o uso de fones de ouvido, principalmente de inserção, pois eles expõem a grandes intensidades de som;
•  Para trabalhadores da construção civil, é muito importante o uso de protetores certificados para proteção dos ouvidos. Canteiro de obras é um ambiente que concentra máquinas e equipamentos muito ruidosos, como serras elétricas e britadeiras;
•  Procure periodicamente realizar exames para verificar o estado da sua saúde auditiva e lembre-se diariamente destas recomendações a fim de prolongar a sua audição.

Fonte:CDN Comunicações