Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Diminui 32,8% em vítimas

Diminui 32,8% em vítimas

Publicada em : 13/05/2016

Diminuição mais significativa ocorre desde julho do ano passado

Divulgação
Um levantamento feito pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) revela que, no comparativo entre os anos de 2014 e 2015, as marginais Tietê e Pinheiros tiveram juntas uma redução de 32,8% no número de mortes, passando de 73 para 49 óbitos. A diminuição mais significativa ocorre desde julho do ano passado, quando a Prefeitura implantou a redução da velocidade máxima nessas duas vias.
Os resultados são parte do Relatório Anual de Acidentes de Trânsito Fatais. A apresentação pode ser conferida aqui. Os números globais foram divulgados em março deste ano.
Em toda a capital, o número de mortes registradas no trânsito teve uma queda de 20,6%. Os dados mostram ainda que 257 vidas foram salvas na comparação entre janeiro e dezembro de 2014 com o mesmo período de 2015. No ano passado, foram registrados 992 óbitos no trânsito, ante 1.249 em 2014. As mortes de pedestres caíram 24,5%, e as de ciclistas tiveram queda de 34%.
De acordo com o estudo, o número de óbitos registrados também diminuiu em outras vias que tiveram a velocidade máxima reduzida, como a Avenida Sapopemba (zona leste), Estrada de Itapecerica (zona sul), Avenida Marechal Tito (zona leste) e Estrada do M’ Boi Mirim (zona sul).
Quadro comparativo
Via Mortes 2014 Mortes 2015 Variação %
Avenida Sapopemba 16 5 - 68,7
Estrada de Itapecerica 22 8 - 63,6
Avenida Marechal Tito 15 6 - 60
Estrada do M’Boi Mirim 21 9 - 57,1%

As ações adotadas pela Prefeitura tiveram resultado em toda a cidade, com destaque para as regiões periféricas, como revela a tabela abaixo:
Quadro comparativo
Subprefeitura Mortes 2014 Mortes 2015 Variação %
Casa Verde / Cachoeirinha 33 15 - 54,5
São Mateus 51 26 - 49
M’Boi Mirim 70 40 - 42,8
Guaianases 23 14 - 39,1

As ações implantadas pela Prefeitura de São Paulo, por meio do Programa de Proteção à Vida (PPV), colaboram para que a cidade se aproxime da meta da capital para a Década de Segurança Viária da ONU, de 6 mortes a 100 mil habitantes até 2020. Em dezembro do ano passado, esse índice foi de 8,26 por 100 mil habilitantes, uma queda na série histórica. Em dezembro de 2014, o índice era de 10,47.
Em todo o Brasil, o índice é de 23,40. No Estado de São Paulo, é de 17,40 e, na Região Metropolitana de São Paulo, de 19,40 mortes por 100 mil habitantes.
Programa de Proteção à Vida
O Programa de Proteção à Vida foi iniciado em 2013, no começo da atual gestão, e busca a redução de acidentes e atropelamentos na cidade ampliando uma série de ações para segurança de todos os agentes do trânsito, especialmente os pedestres.
A iniciativa inclui várias frentes, como o CET no Seu Bairro, a implantação de Áreas 40, da Frente Segura (bolsões de parada junto aos semáforos para motociclistas e bicicletas), das faixas de pedestres diagonais em cruzamentos de grande movimento e da redução de velocidade máxima para o padrão de 50 km/h nas vias arteriais.
Também foram revitalizados os semáforos de 4.645 cruzamentos na cidade. Com isso, pretende-se melhorar a segurança dos usuários do sistema viário, buscando a convivência pacífica entre todos.

Fonte:SECOM - Prefeitura da Cidade de São Paulo