Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Impostômetro da ACSP

Impostômetro da ACSP

Publicada em : 30/03/2016

Registra R$ 500 bilhões nesta terça-feira (29)

divulgação
O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) registra, nesta terça-feira (29/3), às 11h20, a marca de R$ 500 bilhões.

O montante representa o total de impostos, taxas e contribuições que a população brasileira já pagou desde o início do ano. Em 2015, esse valor foi atingido dia 30/3. 

"O Impostômetro continua girando rápido demais. Apesar da crise econômica que afeta o faturamento das empresas e o consumo das pessoas, a arrecadação ainda continua elevada, sobretudo pelo efeito da inflação, que é o imposto mais cruel para as classes mais pobres", diz Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

O painel

O Impostômetro foi implantado em 2005 pela ACSP para conscientizar o cidadão sobre a alta carga tributária e incentivá-lo a cobrar os governos por serviços públicos de qualidade. Está localizado na sede da ACSP, na Rua Boa Vista, centro da capital paulista. Outros municípios se espelharam na iniciativa e instalaram seus próprios painéis, como Florianópolis, Guarulhos, Manaus, Rio de Janeiro e Brasília. Pelo portal www.impostometro.com.br é possível levantar os valores por estado e município, entre outras informações.

O que dá para fazer com R$ 500 bilhões

Construir mais de 10.474.106 postos policiais equipados

Contratar mais de 37.687.936 professores do ensino fundamental por ano

A arrecadação de tributos corresponde a 418.964.226 notebooks

Construir mais de 437.180 km asfaltado de estradas

Plantar 100.551.414.207 de árvores

Comprar mais de 18.620.632 carros populares

Construir mais de 14.364.488 casas populares de 40 m2

Comprar mais de 6.245.429 ambulâncias equipadas

Construir mais de 5.464.751 km de redes de esgoto

Adquirir mais de 457.051.883 geladeiras simples

Construir mais de 36.431.672 salas de aula equipadas

Construir mais de 1.745.684 postos de saúde equipados

Fonte:Renato Santana de Jesus