Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Vendas de Páscoa

Vendas de Páscoa

Publicada em : 15/03/2016

Podem crescer 3% no estado de São Paulo

divulgação
Faltando menos de um mês para a Páscoa, os tradicionais ovos já tomam conta das prateleiras dos supermercados e estabelecimentos comerciais. De acordo com uma pesquisa realizada pela FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo), as vendas de Páscoa em 2015 devem ser estáveis em relação ao ano anterior e podem crescer até 3%. Além disso, os consumidores esperam gastar até R$ 100,00 em compras durante o período de comemoração.

Empresários e lojistas não acreditam em um crescimento tão representativo das vendas de Páscoa devido a atual economia, mas buscam alternativas para motivar as compras e mudar o cenário. “Os lojistas estão buscando novas opções em um trabalho aliado aos fornecedores, como ovos mais baratos, diferenciais que atraiam as crianças, apoio para equipe de demonstração de produtos, entre outras maneiras de ajudar o comércio e atrair os clientes. Em todo o estado, acreditamos em um crescimento entre 3% e 5%”, afirma o presidente da FCDLESP, Mauricio Stainoff.

As contratações temporárias durante o período não geram também grandes expectativas. Segundo Stainoff, os lojistas estão receosos em contratar mão de obra temporária, pois além da situação econômica e o pessimismo que toma conta do país, os preços dos produtos de chocolate têm os seus custos vinculados ao cacau, o qual é cotado em dólar americano.

Interior do estado

Na cidade de Jundiaí, a expectativa de crescimento para vendas e contratações é de 3% quando comparado ao ano de 2015. “Cerca de 300 vagas temporárias foram abertas em lojas de chocolate, brinquedos e nos mercados locais. Apenas 20% das vagas preenchidas para o período podem ser efetivadas, resultado da situação econômica atual”, afirma o presidente da CDL Jundiaí, Edson Severo Maltoni.

Na região de Campinas, a expectativa de contratações para o período de Páscoa, também não é muita promissora. “Supermercados, hipermercados e lojas de departamento já estão contratando, porém, a procura está alta demais para a quantidade de vagas abertas”, explica a presidente da CDL Campinas, Adriana Flosi. A expectativa de crescimento de vagas temporárias para a região é de 3%. “Em relação às vendas, os consumidores esperam gastar no máximo R$ 100,00”, completa.

Já na região de São José do Rio Preto não há expectativa de crescimento para as contratações temporárias, em relação ao mesmo período do ano anterior. A situação econômica é a justificativa. “Diante do cenário que temos hoje, dificilmente haverá crescimento nas contratações e a efetivação após o período de Páscoa é algo ainda menos viável. A situação econômica atual é de recessão e estagnação de mercado, o que indica mais demissão do que contratação”, afirma o presidente da CDL de São José do Rio Preto, Ronaldo José Reis.

Litoral

Na Praia Grande, litoral do estado, os consumidores devem gastar em média de R$60,00 a R$ 100,00 em compras de Páscoa. Em geral, a região é a que mais espera crescer durante o período, quando a estimativa de aumento é de até 5%. Para o presidente da CDL Praia Grande, Antonio Luiz de Souza, empresas de eventos, quiosques e lojas de chocolates devem ser as mais procuradas para se trabalhar. “A estimativa de 150 vagas temporárias”, acredita.

Fonte:Talita A. Scotto | Agência Contatto