Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Festas de fim de ano

Festas de fim de ano

Publicada em : 18/12/2015

Medidas simples evitam dor de cabeça

divulgação
A aplicação de medidas simples tomadas pelos visitantes que chegam ao litoral para a temporada de verão é o suficiente para evitar problemas no abastecimento de água do imóvel. O cliente não deve se descuidar de verificar se o registro do imóvel está aberto, se as contas de consumo foram pagas, e por último, providenciar previamente a lavagem da caixa d’água (medida que deve ser tomada a cada seis meses). Durante a alta temporada de verão, as cidades litorâneas chegam a quintuplicar a sua população. E é comum encontrar situações que interferem no consumo de água das residências.

Dentre os problemas mais comuns identificados pela Sabesp nesses períodos, a superlotação dos imóveis, cujas instalações internas não atendem ao número de pessoas de forma adequada, impacta no abastecimento. Muitas vezes, verificam-se que casas projetadas para até cinco pessoas acabam abrigando de 20 a 30 pessoas. Até mesmo o fato de esquecer fechado o registro da entrada de água ao interior do imóvel é constatado em cerca de 40% das vistorias feitas no litoral. Assim como acontecem reclamações em imóveis com ligação de água cortada por estarem meses em débito com a companhia.

“Essas situações acontecem mais do que se imagina. Pela experiência das últimas temporadas, a superlotação dos imóveis chegou a representar 30% dos pedidos de vistoria por falta de água em Bertioga, assim como em Guarujá esse número é estimado em 20% e em Praia Grande, 10%. Medidas simples de consciência no modo de usar a água podem ajudar a garantir o abastecimento de todos”, disse João Cesar Queiroz Prado, superintendente da Sabesp na Baixada Santista.

A Central de Atendimento Sabesp, que funciona 24 horas, recebe diariamente, uma grande quantidade de chamadas, acionando imediatamente equipes locais para verificação de ocorrências. “No período da alta temporada, com a quantidade de pessoas no litoral de São Paulo, incluindo a população fixa e turistas, o deslocamento das equipes da Sabesp é dificultado e demanda tempo. Muitas vezes os técnicos chegam ao local da ‘falta d’água’ e identificam que o problema é um registro fechado. Com isso, um atendimento real, que precisaria ser feito com urgência do outro lado da cidade, acaba prejudicado”, explicou José Bosco Fernandes de Castro, superintendente da Sabesp no Litoral Norte.

A importância da caixa d’água

Pesquisa de Satisfação realizada com clientes da Sabesp no Litoral Norte apontou que só nessa região 35% dos moradores não possuem caixa d’água. É fundamental que a população tenha caixa d’água para que, em casos de interrupção no abastecimento, como em manutenções programadas ou emergenciais, o cliente tenha seu consumo garantido. A medida também é necessária para quando o morador fizer algum reparo interno na residência.

As caixas d’água devem estar adequadas às características e aos habitantes do imóvel para garantir o consumo interno de água, independentemente ao abastecimento público por, no mínimo, 24 horas. Trata-se de um equipamento obrigatório, previsto em legislações municipais e pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Uma caixa d’água de 500 litros atende plenamente um imóvel com três pessoas, com consumo médio de 450 litros por dia. Para uma família de quatro pessoas, por exemplo, cujo consumo está na média de 600 litros, o tamanho ideal do reservatório é de 1.000 litros. A caixa d’água de 1.000 litros atende satisfatoriamente um imóvel com até seis pessoas, cuja média de consumo é de 900 litros por dia. Vale lembrar que segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), 110 litros de água por dia é suficiente para atender as necessidades básicas de uma pessoa.

Vai para o litoral? Confira dicas importantes da Sabesp:

- Informe-se se a fatura de água está com o pagamento em dia

- Ao entrar no imóvel verifique se o registro encontra-se aberto

- Peça informações sobre as instalações internas (canos), limpeza periódica e dimensão da caixa d’água

- Em caso de problemas com abastecimento, ligue gratuitamente para a Central de Atendimento, que funciona 24 horas pelo 195.

- O consumo de água aumentou sem que houvesse grandes mudanças dentro de casa? Verifique a existência de vazamentos internos, a eficiência dos equipamentos domiciliares no seu imóvel e seus hábitos.

- Para os moradores, o monitoramento periódico do registro de consumo possibilita identificar rapidamente um aumento causado por vazamento interno, sem ser preciso esperar a próxima conta. A ação corretiva pode ser adotada rapidamente, evitando desperdício. Quando uma alta do consumo é identificada pela Sabesp, na fatura do imóvel vai impressa uma mensagem que indica a importância de verificação das instalações hidráulicas internas.

- Grande vilão no desperdício de água de uma residência, o banheiro representa 63% de toda água consumida. O chuveiro e a bacia sanitária, juntos, representam 57% do consumido. Para isso existem equipamentos, como a bacia com caixa acoplada, que reduz a utilização de água na descarga. Também é possível colocar um restritor de vazão no chuveiro e na torneia, que contribui para economia da água utilizada.

Fonte:Assessoria de comunicação da Sabesp