Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Confiança do brasileiro

Confiança do brasileiro

Publicada em : 01/12/2015

Tem novo recorde de baixa em outubro

divulgação
O Índice Nacional de Confiança (INC) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) registrou 74 pontos em outubro – cinco a menos sobre setembro. É o valor mais baixo já apontado pela pesquisa desde que começou a ser elaborada, em abril de 2005. E trata-se da quinta mínima histórica consecutiva.

O INC foi encomendado pela ACSP ao Instituto Ipsos, que realizou a pesquisa entre os dias 15 e 29 de outubro em todo o Brasil. No INC, os valores entre 100 e 200 pontos apontam otimismo; o intervalo de zero a 100 indica pessimismo.

Em outubro de 2014, o INC foi de 148 pontos, ou seja, houve uma queda de 50% de um ano para outro.

“A raiz do problema está na área política, que não consegue resolver a questão fiscal, piorando o cenário macroeconômico e afastando investimentos. Por isso, é cada vez mais urgente que todos se unam para encontrar um caminho de saída para a crise”, diz Alencar Burti, presidente da ACSP e da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo).

A confiança do consumidor paulista permanece em patamar mais baixo em relação ao Brasil, marcando 68 pontos em outubro contra 73 em setembro.

Sul: pior resultado 

Melhorou a confiança de quem mora nas regiões Sudeste e Norte/Centro Oeste. Na primeira o INC saiu de 72 pontos em setembro para 75 em outubro. Já na segunda o índice foi de 77 para 79 pontos.



O Sul, por sua vez, apresentou o pior resultado. O INC da região chegou a 55 pontos ante 77 em setembro. As justificativas para esse desempenho são as condições climáticas desfavoráveis (chuvas em excesso), severas dificuldades financeiras do poder público local e enfraquecimento da indústria – o Sul amargou a maior queda industrial em setembro segundo o IBGE, em relação às demais regiões brasileiras.

Por fim, a confiança no Nordeste caiu de 87 pontos em setembro para 79 em outubro.

Classes

Todas as classes socioeconômicas apresentaram queda na confiança de setembro para outubro. A classe D/E foi de 84 para 83, a classe C foi de 80 para 73 e a classe A/B foi de 69 para 64.

Série histórica INC em 2015



·         Outubro: 74 pontos

·         Setembro: 79 pontos

·         Agosto: 81 pontos

·         Julho: 84 pontos

·         Junho: 100 pontos

·         Maio: 105

·         Abril: 103

·         Março: 117

·         Fevereiro: 128

·         Janeiro: 137

Situação, consumo e emprego

De acordo com o INC de outubro, 54% dos brasileiros avaliam como ruim sua situação financeira atual. O mesmo percentual também se sente inseguro em seus empregos.
Em consequência, 64% dos entrevistados estão menos à vontade para comprar eletrodomésticos e móveis. Ao mesmo tempo, 66% não estão à vontade para adquirir casa ou carro.

“Resta ao comércio trabalhar em cima dos 36% que estão indecisos ou seguros para comprar eletrodomésticos e móveis e dos 34% que aceitariam investir em um imóvel ou automóvel. O que os empresários não podem é se abater com a situação. É preciso investir em ferramentas de marketing e aproveitar as oportunidades da época de fim de ano”, sugere Alencar Burti.

O INC

A pesquisa foi elaborada pelo Instituto Ipsos a partir de 1.200 entrevistas domiciliares em 72 municípios do País, por amostra representativa da população brasileira de áreas urbanas (Censo 2010 e PNAD 2013), com seleção probabilística de locais de entrevista e cotas de escolha do entrevistado, ambas baseadas em dados oficiais do IBGE. O INC da ACSP/Ipsos começou a ser elaborado em abril de 2005. 

Fonte:Sobre a ACSP: