Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Custo de vida sobe 5,84%

Custo de vida sobe 5,84%

Publicada em : 12/02/2014

Região Metropolitana de São Paulo

Divulgação
A inflação na região metropolitana de São Paulo encerrou o ano de 2013 em 5,84%, patamar ligeiramente acima dos 5,15% apurados em 2012. Os dados fazem parte do indicador de Custo de Vida por Classe Social (CVCS), mensurado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Os segmentos de alimentos e bebidas e transportes foram responsáveis por 70% do aumento registrado no período. Ao longo do ano passado, ambos acumularam alta de 8,34% e 4,81%, respectivamente. No grupo de alimentos, as maiores pressões vieram de farinhas e massas (20,40%), leites e derivados (19,25%), legumes (14,37%) e panificados (13%).

Já na comparação mensal, a inflação foi de 0,90% em dezembro, alta de 0,45 ponto porcentual (p.p.) em relação a novembro. As maiores pressões vieram dos mesmos itens que impulsionaram o CVCS o ano todo, alimentos e bebidas e transportes. Juntos, os dois segmentos contribuíram com 32% para o índice geral de dezembro. Isoladamente, as altas registradas nesses grupos foram, respectivamente, de 0,69% e 2,30%, frente ao mês anterior.

Por faixa de renda, as classes D e E foram as mais impactadas pela inflação, justamente porque o peso de alimentos e bebidas é maior para esses extratos sociais. Em dezembro, o CVCS do segmento apresentou alta de 1,06% e 1,01%, respectivamente, frente a novembro. Na comparação anual, entretanto, as classes mais afetadas foram A e B. Em relação a dezembro de 2012, o custo de vida subiu 6,02% e 5,98% para esses extratos sociais, puxados pelos grupos saúde e despesas pessoais.

Segundo a FecomercioSP, a tendência é que os preços gerais da economia se mantenham pressionados no começo de 2014. Sazonalmente, o período das chuvas de verão afeta a produção de alimentos, impactando o volume ofertado e a qualidade dos produtos in natura. Nesse sentido, a classe D pode ser a mais prejudicada devido à representatividade desse grupo de despesas no CVCS.

Varejo
O índice de preços no varejo apresentou alta de 6,16% em 2013, em relação ao acumulado do ano anterior.  Despesas pessoais (10,77%), alimentação e bebidas (7,97%) e habitação (7,05%) foram as atividades que mais pressionaram o Índice de Preços no Varejo (IPV) no período, subitem que compõe o CVCS.

Em dezembro, frente a novembro, o aumento de preços de produtos no varejo foi de 0,90%. Transportes foi o segmento que mais impactou o resultado no mês, responsável por uma alta de 2,09% na base de comparação. Os vilões desse grupo foram os preços maiores de motocicleta (7,57%), pneu (4,16%) e automóvel novo (3,74%).

O aumento nos preços de veículos e de produtos para a sua manutenção contribuiu para que o custo de vida da Classe C fosse o mais impactado no período. Para essas famílias, o IPV registrado em dezembro foi de 0,95%.

Serviços
A inflação de serviços da região metropolitana de São Paulo chegou a 0,91% em dezembro, alta de 0,41 ponto porcentual em relação a novembro. Já no acumulado de 2013, o índice de preços do setor sofreu elevação de 5,5%.

No mês, a alta nos preços dos serviços relacionados a transporte foi de 2,66% frente a novembro. Já no ano, o aumento chegou a 4,49%, puxado, principalmente, por gastos com transporte público (7,22%). No subitem veículo próprio, os serviços que mais pressionaram o IPS foram estacionamento (11,3%) e lubrificação e lavagem (11,33%).

Metodologia
O Custo de Vida por Classe Social (CVCS), formado pelo Índice de Preços de Serviços (IPS) e Índice de Preços do Varejo (IPV), utiliza informações da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) do IBGE e contempla as cinco faixas de renda familiar (A, B, C, D e E) para avaliar os pesos e os efeitos da alta de preços na região metropolitana de São Paulo em 247 itens de consumo. A estrutura de ponderação é fixa e baseada na participação dos itens de consumo obtida pela POF de 2008/2009 para cada grupo de renda e para a média geral. O IPS avalia 66 itens de serviços e o IPV, 181 produtos de consumo.

As faixas de renda variam de acordo com os ganhos familiares: até R$ 976,58 (E); de R$ 976,59 a R$ 1.464,87 (D); de R$ 1.464,88 a R$ 7.324,33 (C); de R$ 7.324,34 a R$ 12.207,23 (B); e acima de R$ 12.207,24 (A). Esses valores foram atualizados pelo IPCA de janeiro de 2012. Para cada uma das cinco faixas de renda acompanhadas, os indicadores de preços resultam da soma das variações de preço de cada item, ponderadas de acordo com a participação desses produtos e serviços sobre o orçamento familiar.

Fonte:FecomercioSP