Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Fiscalização no Verão

Fiscalização no Verão

Publicada em : 12/02/2014

“Operação Verão” vai analisar se protetores solares, bronzeadores, repelentes, sorvetes, entre outros seguem as indicações de quantidade e peso mencionadas nas embalagens

Divulgação
O IPEM-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo do Estado de São Paulo que tem como finalidade proteger o consumidor, realiza no dia 27/01 (segunda-feira), a “Operação Verão”. A ação tem como objetivo intensificar a fiscalização de produtos com alto consumo durante o período de  verão, como protetores solares, bronzeadores, repelentes, água de coco, isotônicos, cosméticos para pele, mãos, lábios e cabelos, entre outros.

Os produtos estão em processo de coleta pelos fiscais do IPEM-SP em diferentes estabelecimentos comerciais – mercados, supermercados, farmácias, perfumarias e lojas especializadas – e serão examinados para identificar se a quantidade do produto corresponde ao indicado na embalagem pelo fabricante. “No  verão há um aumento característico na venda desses itens, por isso é muito importante que a fiscalização seja redobrada neste período. O consumidor deve ficar atento e, se desconfiar do produto, deve denunciar à Ouvidoria”, recomenda o superintendente do IPEM-SP, Alexandre Modonezi.

Em 2013, a mesma operação apontou que 20,34% dos 59 lotes analisados apresentaram irregularidades, ou seja, menor quantidade do que o indicado na embalagem.

As análises quantitativas dos produtos serão realizadas nos laboratórios de produtos pré-medidos do IPEM-SP nas cidades de Bauru, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos e São Paulo. Os exames nos laboratórios podem ser acompanhados por representantes das empresas fiscalizadas, que são previamente convidados, assim como veículos de imprensa interessados.

As empresas com produtos irregulares são autuadas e tem prazo de dez dias para apresentação de defesa junto ao Instituto. A multa pode variar de R$ 640 até R$ 30 mil, dobrando na reincidência.

Fonte:IPEM-SP