Notícias

Home/ Notícias Online/ Notícias/ Intenção de consumo das famíli...

Intenção de consumo das famílias paulistanas termina ano estagnada

Publicada em : 06/01/2014

Indicador da entidade permanece estável há três meses; em relação a dezembro de 2012, índice apresentou queda de 11,4%

Divulgação
A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) da cidade de São Paulo ficou estável em dezembro, em relação ao mês anterior. O indicador da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) permaneceu em 125,3 pontos pelo terceiro mês consecutivo. E, na comparação com dezembro de 2012, o índice apresentou queda de 11,4%, com todos os itens que compõem o ICF demostrando baixa.

Segundo a FecomercioSP, nem o Natal conseguiu melhorar o ímpeto de consumo das famílias, o que deve refletir em menor demanda para as compras de fim de ano. Analisando o histórico do indicador pode se notar que ele permanece em um patamar baixo, considerando que no pior momento do ano - no terceiro trimestre - sua média ficou em 122 pontos. E com o crédito mais caro, provável aumento do IPTU no município e pressões inflacionárias, as perspectivas para 2014 não parecem favoráveis para os varejistas paulistanos.

Em dezembro, três dos sete itens que compõem o índice apresentaram queda em relação a novembro. A maior queda foi no item Acesso ao Crédito (-5,7%), que atingiu 132,5 pontos, seguido por Momento para Duráveis (-2,5%), com 110,1 pontos. Ambos estão com a pior pontuação da série histórica, pressionados por fatores como os seguidos aumentos da taxa Selic. Em relação ao Nível de Consumo Atual houve estabilidade (-0,2%), com 96,1 pontos.

O item Renda Atual foi o mais bem avaliado do ICF com 144 pontos (+3,1%), influenciado principalmente pelo recebimento do 13º salário. Outros que apresentaram altas foram os quesitos Perspectiva Profissional (+3,2%), chegando a 133,2 pontos, Emprego Atual (+1,8%), com 134,1 pontos, e Perspectivas de Consumo (+0,1%), apresentando estabilidade de 127 pontos.

Analisando por faixa de renda, as famílias que ganham até 10 salários mínimos continuam mais satisfeitas (127,5 pontos) dos que ganham mais (119 pontos). As incertezas da economia fizeram o padrão se manter durante todo o ano de 2013 e em nove dos 12 meses ocorreu este cenário, sendo oito consecutivos de maio até dezembro.

Na comparação de dezembro de 2012 com o deste ano, todos os itens apresentaram queda, sendo que as maiores foram registradas em Momento para Duráveis (-24,6%), Acesso ao Crédito (-18,4%), Nível de Consumo Atual (-15,8%) e Perspectiva Profissional (-10,1%).

Nota Metodológica
A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) é apurada mensalmente pela FecomercioSP desde agosto de 2009 junto a cerca de 2.200 consumidores no município de São Paulo. O ICF é composto por sete itens: emprego atual, perspectiva profissional, renda atual, acesso ao crédito, nível de consumo atual, perspectiva de consumo e momento para duráveis. O índice vai de 0 a 200 pontos, onde abaixo de 100 pontos é considerado insatisfação e acima de 100 é denotado como satisfação. O objetivo da pesquisa é ser um indicador antecedente de vendas do comércio, tornando possível, a partir do ponto de vista dos consumidores e não por uso de modelos econométricos, ser uma ferramenta poderosa para o varejo, fabricantes, consultorias e instituições financeiras.

Fonte:Assessoria de Imprensa FecomercioSP