Educação

Home/ Notícias Online/ Educação/ Escolas estaduais de SP

Escolas estaduais de SP

Publicada em : 25/09/2017

Professores e alunos também utilizam espaços verdes para produção de hortifrútis, ensino de técnicas agrícolas e decoração das unidades

Divulgação
Além das salas de aulas, professores e alunos da rede estadual de São Paulo adotaram as hortas como espaço adicional para o ensino de disciplinas como Ciências, Geografia e até Matemática. Pesquisa realizada pela equipe de Meio Ambiente da Secretaria da Educação com 1.200 escolas revelou que metade utilizam essas áreas verdes para fins didáticos. Mais: 62% aproveitam para praticar hábitos saudáveis. 
         É exatamente o que estão fazendo sete unidades de Andradina participantes do projeto Horta Cidadã. Desde o início do ano, estudantes do Fundamental e Médio aprendem sobreclima, solo, aquecimento global, produção e destinação de lixo e sustentabilidade. "A ideia é contextualizar o conteúdo dos livros. Queremos que os alunos aprendam como preparar a terra utilizando recursos que a própria escola proporciona", conta Alessandro Veloso da Costa, professor coordenador de Geografia.
Em Araraquara, na E.E. Narciso da Silva Cesar, a proposta é multidisciplinar. As crianças acompanham todo o processo de cultivo – adubação, plantio e colheita. Ao final as hortaliças vão para os pratos servidos na merenda. Não antes de algumas aulas de inglês. Alfaces, chicórias, cenouras, salsinhas e cebolinhas são algumas das palavras recém-descobertas.
Já na E.E. Alcindo Soares do Nascimento, em Americana, o grêmio estudantil e os pais são os importantes reforços. Enquanto os adultos são responsáveis pelo preparo da terra e manutenção do espaço aos sábados e domingos, os estudantes plantam verduras e legumes ao longo da semana. Ao mesmo tempo, os líderes se dedicam a passar de classe em classe para explicar os benefícios nutricionais dos alimentos.
As hortas também ajudam a embelezar as escolas. Na E.E. Professora Lydia Rocha Alves, em Franca, um modelo suspenso otimizou um espaço que estava sem muito uso. A iniciativa proposta pelo voluntário do Programa Escola da Família João Marçal Fugimoto hoje serve ainda para plantar frutas. Só em 2016 foram entregues mais de 3 mil mudas para o cultivo dos produtos em casa.

Fonte:Secretaria da Educação do Estado de São Paulo