Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ O Cândido Chico Xavier

O Cândido Chico Xavier

Publicada em : 14/09/2016

Espetáculo emocionante sobre a vida do médium

Divulgação
Em seu quinto ano de temporada com o espetáculo de sucesso de público "Allan Kardec - Um olhar para a eternidade" - já visto por cerca de 200 mil pessoas em apresentações por mais de 80 cidades do Brasil -, os produtores da peça dão pontapé inicial a mais um projeto que promete repetir o mesmo empenho. A partir de outubro, a Arantes e Amar Produções estreia o espetáculo “O Cândido Chico Xavier”, com texto de Flávio Serra, que fará turnê pelos teatros de todo o Brasil. A direção é assinada pela talentosíssima Ana Rosa, que também é diretora de “Allan Kardec” e de “Violetas na janela” – esta última é sucesso há cerca de 20 anos. No palco, estarão os atores Rogério Fabiano, Érica Collares, Priscilla de Amorim e grande elenco – todos atuam em “Kardec”.

“O Cândido Chico Xavier” narra a vida do médium, filantropo e um dos mais importantes expoentes do espiritismo, o Francisco Cândido Xavier. De sua infância à morte, com o passo a passo de sua fé e da dedicação à Doutrina Espírita, dos seus estudos e do seu desenvolvimento da psicografia. Para Ana Rosa, dirigir a peça é muita responsabilidade, mas, também, uma felicidade, já que conheceu Chico Xavier.

“Dirigir uma peça sobre Chico Xavier é uma responsabilidade enorme. Tive o prazer e a alegria de conhecer o Chico pessoalmente e, felizmente, comecei a estudar o Espiritismo há mais de 40 anos. O trabalho de direção nessa trilogia “Violetas na janela”, “O Cândido Chico Xavier” e “Allan Kardec - Um olhar para a eternidade”, é, em parte, resultado de todos esses anos na Doutrina Espírita. Acho, inclusive, que ‘o pessoal lá de cima’ me dá uma força tremenda na retaguarda”, diz Ana, que, em 1997, entrou para o Guiness Book como a atriz recordista de telenovelas.
Ana Rosa torce por uma trajetória bem longa: “Minha expectativa é de que ‘O Cândido’, uma homenagem ao Chico, alcance o objetivo de mostrar a quem não o conhece a magnitude desse espírito e de difundir a sua obra. Espero que o espetáculo tenha uma carreira longa, como os dois outros dirigidos por mim”.

Em cena, o público poderá conferir a história emocionante desse brasileiro, nascido de uma família humilde, na cidade de Pedro Leopoldo (interior de Minas Gerais), que perdeu a mãe, Rita de Cássia, ainda menino; os abusos que sofreu de sua madrinha, que cuidou dele por um tempo; e a perseguição que aguentou daqueles que não acreditavam em seu dom de ver e ouvir espíritos. Numa das passagens do texto que a plateia verá, certa vez, o padre Scarzelli, descrente do talento de Chico, o mandou rezar mil Ave-Marias por conta do que ela taxava como “fantasias de menino”.

O texto, claro, relata o contato e a adesão de Chico à Doutrina Espírita, aos 17 anos, quando iniciou no estudo do Espiritismo. A partir daí, dedicou-se a ajudar os mais necessitados - nem mesmo a catarata obscura, aos 21, o impediu de seguir em frente.
Por sua mediunidade começou a psicografar mensagens que foram publicadas em jornais. O encontro com seu mentor espiritual Emannuel, a parceria longa com o também médium Waldo Vieira, a indicação ao Prêmio Nobel da Paz e os mais de 400 livros escritos, todos com rendas revertidas à caridade, são muitos dos momentos marcantes.

"O cândido Chico Xavier"
Dirigido pela Ana Rosa
temporada de 13/10 a 02/12
Teatro UMC 
Av. Imperatriz Leopoldina, 550 - Vila Leopoldina
F: 3476-6403
Quinta e sexta às 20:30 horas

Fonte:Jonas de Oliveira Souza