Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ A Casa Tombada

A Casa Tombada

Publicada em : 04/08/2016

Durante 24 horas, terá ocupação artística de dança do Núcleo MIRADA

Roni Diniz
Ao chegar em  A Casa Tombada, centro cultural localizado na zona Oeste de São Paulo, em qualquer horário entre às 18h do sábado, 6 de agosto, e às 18h do domingo, 7 de agosto, o público irá assistir - espalhadas pelos cômodos - curtas performances de dança e vídeo, além de objetos cênicos e máquinas de escrever à disposição das pessoas. As atividades  artísticas acontecem paralelamente  a ações cotidianas, como comer,  descansar e até tomar banho. Essa é a proposta da ocupação  24h Obra Procedimento, projeto do Núcleo MIRADA que oferece ao público a oportunidade de vivenciar experiências de arte num ambiente que remete a uma casa tradicional.

As diversas performances, denominadas pelo núcleo como Procedimentos Obra, resultaram de encontros  das bailarinas e pesquisadoras do Núcleo MIRADA (formado pelas bailarinas Karime Nivoloni, Liana Zakia e Christiana Sarasidou) com artistas de outras linguagens (vídeo, literatura, música etc), em sete espaços públicos da cidade durante este ano.

Essas intervenções urbanas aconteceram na Praça da Sé, Viaduto Santa Ifigênia, Praça Roosevelt, Largo da Batata, Vão do MASP, Praça das Artes e Praça Júlio Prestes, sempre em parceria com músicos, poetas e artistas em geral, entre eles o desenhista Alcimar Frazão, os Djs Bruno Navarro e Danilo Pêra e o dramaturgo André do Amaral.

Na ocupação de 24 horas, A Casa Tombada irá abrigar trechos das experiências que aconteceram nos espaços citados acima. Haverá improviso de dança a partir da escuta da trilha composta por Djs; máquina de escrever disponível para o público redigir cartas, danças criadas em cima da leitura de textos produzidos pelos artistas convidados e projeções de desenhos “vestidos” pelas bailarinas, entre outros. Este Roteiro de Procedimentos será divulgado em 30 de julho no blog do Núcleo: www.nucleomirada.blgspot.com.br.

“Essas experiências de criação em diálogo com outros artistas é uma prática que vem sendo trabalhada como estratégia criativa de pesquisa em dança e estará presente nesta ocupação”, explica o Núcleo, que oferece ao público um roteiro de procedimentos detalhando o que será feito no espaço de A Casa Tombada no site www.nucleomirada.blogspot.com.br a partir do dia 30 de julho.

As bailarinas adiantam que na ocupação 24h Obra Procedimento o público irá se deparar com trechos de coreografias do espetáculo CALA, de seu repertório, vídeos,  objetos cênicos distribuídos pela casa, bebidas preparadas para os visitantes e atividades que estimulam diálogos da dança com outras artes.  “Nessas conexões há textos, movimentos, gestualidades, interação com móveis que são objetos cênicos do CALA, além de vídeos e fotos do processo escondidos pela casa”, complementam as bailarinas.

Ao longo de 24 horas, o espaço é aberto ao público, que poderá circular livremente, sendo a entrada gratuita. “O Núcleo investe em uma maneira não usual de abrir seu processo ao compreender o fazer artístico e as formas de compartilhar experiências criativas como possibilidades de encontro entre artistas e espectadores, o que pode proporcionar tipos de presença e de percepções não habituais”, contam as artistas.

Origem da ocupação

O projeto Rede CALA, desenvolvido atualmente, surge como um desdobramento do espetáculo CALA, criado em 2014 com o apoio do ProAC Criação 2013. Neste trabalho, uma série de performances apostou no uso de objetos analógicos por parte do público, como máquinas fotográficas, gravadores, máquinas de escrever, blocos de notas e vitrolas.

Esta experiência amadureceu o conceito de Procedimentos Obra, no qual algumas matrizes do espetáculo foram levadas para espaços públicos onde aconteceram performances/intervenções urbanas com artistas especializados nos objetos analógicos usados anteriormente.

A ideia é que o experimento não prejudique as necessidades fisiológicas que irão acometer as artistas e o público nas 24 horas da ação. Dormir, comer, tomar banho, descansar e cozinhar são algumas das ações rotineiras que irão acontecer integradas ao projeto. “Não será problema se o público chegar num momento em que uma de nós estiver dormindo, por exemplo”. Essas tarefas, contudo, suprirão apenas as necessidades do Núcleo.

A estrutura arquitetônica da casa, um sobrado com jardim externo, auxilia nos processos criativos, e é determinante nas escolhas dos procedimentos artísticos, distribuídos nos diversos cômodos.

Segundo o Núcleo, o Roteiro de Procedimentos pré-determinado estará aberto às necessidades dos momentos, que também vão conduzir as ações.  A entrada é gratuita e a permanência é livre.


Serviço

24h Obra Procedimento. De 6 a 7 de agosto, sábado a domingo, das 18h às 18h (24h de duração), n’A Casa Tombada. Endereço: Rua Ministro Godói, 109 (perto da estação Barra Funda do Metrô, ao lado da entrada lateral do parque da Água Branca) – Perdizes (São Paulo). Telefone: 11 3675 6661. Classificação: Livre. Capacidade: Indeterminada.
Email: contato@acasatombada.com.
Facebook: https://www.facebook.com/acasatombada?fref=ts.

Fonte:ARTEPLURAL Comunicação