Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Medo

Medo

Publicada em : 15/03/2016

Montagem poética da Cia. de Teatro Heliópolis fala de medo e violência em ambiente sensorial

Geovanna Gelan
A Companhia de Teatro Heliópolis estreia o espetáculo Medo no dia 12 de março, sábado, na Casa de Teatro Maria José de Carvalho, às 20 horas. A encenação, que fala de medo, baseia-se nos atentados de 2006 da cidade de São Paulo e traz consigo a memória de mulheres que perderam seus filhos, usando a carga semântica do casarão de três níveis, que é a sede da companhia, no bairro do Ipiranga.

Com direção e concepção de Miguel Rocha e texto de Gustavo Guimarães, a montagem conduz o espectador por diferentes espaços físicos e sensoriais, pela casa onde viveu a pianista, cantora e ativista cultural Maria José de Carvalho. Envolvidos por uma atmosfera nebulosa, onde nada se revela totalmente, o público (de no máximo 15 pessoas) acompanha a encenação de oito atores ao mesmo tempo em que seus sentidos são estimulados pelas instalações e sensações provocadas pela escuridão ou pelas luzes, pelas cores, pelos sons ou pelo silêncio.

O diretor explica que os fragmentos das memórias ocorrem em tempos diferentes, mas caminham paralelamente possibilitando que os tempos (passado, presente e futuro) sejam apresentados de forma nebulosa como costuma ser nossas lembranças. A encenação de Miguel Rocha mergulha com lirismo na subjetividade de fatos que deixaram marcas e que retornam com frequência de formas diferentes. “Abordamos o efeito do medo que nos torna refém de uma situação, de uma lembrança. E quando tratamos do medo da violência esse efeito fica ainda mais latente, pois nos grandes centros estamos sempre expostos a situações de risco.” comenta.

Na encenação de Medo não há rupturas entre as cenas. Todo o trajeto pelos ambientes da casa é contínuo e sensorial. O medo está contido na penumbra desse caminho, na ausência, na insegurança envolta pela névoa impalpável que geralmente perpassa nossas memórias; a violência não é explicita, está condicionada ao que cada espectador sente. Segundo Miguel Rocha, “o espetáculo não pretende contar histórias, mas mostrá-las de forma poética através do campo das sensações".

Para criar um ambiente consonante com o medo presente na peça e que ressoe nos espaços da Casa, a companhia desenvolveu ambientes em tons de preto e cinza, e uma iluminação em tonalidades claras e escuras, para remeter ao estado de penumbra, explorando as possibilidades de sombras, vulto e becos.


Serviço

Espetáculo: Medo

Estreia: 12 de março. Sábados, às 20h
Casa de Teatro Maria José de Carvalho
Endereço: Rua Silva Bueno, nº 1533, Ipiranga/SP. Tel: (11) 2060-0318
Temporada: 12 de março a 8 de maio
Horário: sábados e domingos, às 20h
Duração: 70 minutos. Gênero: drama. Classificação: 14 anos
Ingressos: R$ 20,00 (meia: R$ 10,00) - Somente com agendamento pelo ctheliopolis@ig.com.br. Capacidade: 15 pessoas
Aceita somente dinheiro. Não possui acessibilidade.

Fonte:VERBENA COMUNICAÇÃO