Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Onça que espirra não come carn...

Onça que espirra não come carne

Publicada em : 01/07/2015

Montagem do grupo Rendeiros Contadores de Histórias usa a Língua Brasileira de Sinais

Divulgação
Texto infantil de Plínio Marcos, o espetáculo ONÇA QUE ESPIRRA NÃO COME CARNE estreia dia 25 de julho, sábado, às 16h, na rua Treze de Maio, na Bela Vista.  Montagem do grupo Rendeiros Contadores de Histórias usa a Língua Brasileira de Sinais com intérpretes atuantes e fará apresentações gratuitas em várias ruas e praças da cidade. Peça fala sobre o poder e a relação entre opressor e oprimido. Projeto foi contemplado pelo Prêmio Zé Renato de Teatro.

Escrita em 1988, por Plínio Marcos, a fábula infantil ONÇA QUE ESPIRRA NÃO COME CARNE apresenta a crítica da opressão do subordinado e a subordinação entre os seres. Na peça, no dia onde a paz na terra acaba e a lei da selva se inicia, onça, gato, macaco e coelho trazem acessibilidade e inclusão em uma história onde bichos humanizados se enfrentam com muita diversão, danças, músicas e acrobacias em busca do poder.

“Mesmo sendo uma peça infantil, não deixa ser política, crítica e atemporal, características tão fortes de Plinio Marcos, se comunicando a qualquer momento na sociedade”, afirma a diretora Sabrina Caires. Trabalhando com o teatro inclusivo ao deficiente auditivo desde o início da sua criação, o grupo Rendeiros Contadores de Histórias conta com o recurso permanente do interprete de libras atuante nos espetáculos, onde todos os atores dominam a Língua Brasileira de Sinais.

“Percebemos que a falta de disponibilidade cultural para o surdo era grande e pensando no sentido real da inclusão, que é envolver, pertencer juntamente com o outro, assim pautamos nosso trabalho”, declara a diretora. “Levando o espetáculo a praças e ruas de bairros distantes do centro, e de forma gratuita, procuramos também atingir um público carente de arte, que não possui o hábito de ir ao teatro ou o acesso a ele”, finaliza Sabrina.

Por meio da ludicidade, de cantigas, da ciranda, do popular e de técnicas circenses, montagem, apresentada de forma narrativa, faz o resgate da cultura brasileira, com uma linguagem gestual e musical. Chico Cardoso assina a cenografia e figurinos. Construído com estrutura de bambus, o cenário representa o ecossistema dos animais. Os figurinos se alternam em macacões de operários, que do avesso se transformam nos figurinos/peles dos animais.

A sonoplastia, de Mauricio Mangini, que também é responsável pela preparação vocal, é baseada nas cantigas populares e é executada pelos próprios atores. A Iluminação, de Paulo Oseas, tem o grande desafio de trabalhar com uma luz para o espaço da rua, que conduzirá a peça, finalizando ao entardecer a história. Deise Brito é a preparadora corporal e Ronaldo Aguiar é o preparador circense.


ONÇA QUE ESPIRRA NÃO COME CARNE (Infantil) – Estreia dia 25 de julho, sábado, às 16h, na Rua Treze de Maio, entre os números 752 e 772. Texto: Plínio Marcos. Direção: Sabrina Caires. Com: Diego Reis, Sheyla Toaiari, Guto Nunes e Danny Leite. Duração: 60 minutos. Recomendação: A partir de 6 anos. Ingressos: Entrada Franca.

OBS: Caso chova as apresentações serão canceladas.

Agenda de apresentações:

Dia 25 de julho, Sábado, às 16h – Entrada Franca
Local: Rua Treze de maio, entre os números 752 e 772 – Bela Vista

Dia 30 de julho, Quinta-feira, às 16h – Entrada Franca
Local: Praça João Batista, 47 – Vila Rica (Zona Leste)
(Próximo. EMEF Roquete Pinto)

Dia 2 de agosto, Domingo, às 16h – Entrada Franca
Local: Praça João Batista, 47 – Vila Rica (Zona Leste)
(Próximo. EMEF Roquete Pinto)

Dia 7 de agosto, Sexta-feira, às 16h – Entrada Franca
Local: Praça José Francisco Leite – Vila Constança (Zona Sul)

Dia 16 de agosto, Domingo, às 16h – Entrada Franca
Local: Rua Folha da noite, 36 – Americanópolis (Zona Sul)

Dia 18 de agosto, Terça-feira, às 11h e 16h – Entrada Franca
Local: Av. Luiz Carlos Gentile de Laet,1736 - Vila Rosa - Horto Florestal (Zona Norte)

Dia 1 de outubro, Quinta-feira, às 15h – Entrada Franca
Local: Av. Ariston de Azevedo, 10 – Belém - Reciclazaro (Zona Leste)

Oficinas de teatro Inclusiva:

Dia 28 de julho, Terça-feira, às 10h
Local: Associação de Moradores Vila Rica (Zona Leste)
Rua João Batista,47 – Vila Rica
Duração: 1h30
Público: Comunidade Surda e Ouvintes (com interprete de Libras)

Dia 11 de agosto, Terça-feira, às 10h e às 14h
Local: Centro de Educação Especial e de Reabilitação Obra Don Guanella
Av. Luiz Carlos Gentile de Laet,1736 - Vila Rosa - Horto Florestal (Zona Norte) 
Duração: 1h30
Público: Comunidade em geral e o deficiente intelectual

Dia 28 de agosto, Sexta-feira, às 10h e às 16h
Oficina de formação para educadores A Importância da contação de história na Infância e contação de história Bilíngue
Local: CORIS “Centro organizado de Revalorização Infantil e Social”
Rua Folha da noite, 36 – Americanópolis (Zona Sul)
Duração: 6h
Público: Educadores

Encerramento Projeto

Dia 4 de outubro, Domingo, às 13h - Entrada Franca
Sarau “Rendando com a comunidade o teatro popular para a minoria”
Local: Teatro Popular Solano Trindade
Avenida São Paulo, 176 – Jardim Silva – Embu das Artes/SP
Divulgação
Divulgação

Fonte:Amália Pereira