Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Instrumentos metrológicos no C...

Instrumentos metrológicos no Catavento Cultural

Publicada em : 13/01/2014

Acervo de instrumentos metrológicos

Divulgação
O IPEM-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo) e o Catavento Cultural e Educacional acabam de se unir para aproximar a população da história da metrologia legal: instrumentos de medição como bombas de combustível e balanças diversas datadas do início do século passado agora integram o acervo permanente do museu e já podem ser apreciadas pelo público.


O objetivo é permitir que os visitantes saibam como a ciência metrológica evoluiu ao longo dos anos. “As peças fazem um retrato da história da metrologia legal, que acompanha o desenvolvimento industrial e comercial da cidade de São Paulo”, explica Alexandre Modonezi, superintendente do IPEM-SP.


O acervo é composto por 13 peças como bombas de combustível da década de 1920, conhecidas como ‘Coqueirinhos’; bombas eletromecânicas; diversos tipos de balanças de precisão usadas em laboratórios farmacêuticos; balanças para pesagem de sacarias com capacidade para até 100 quilogramas; além de balanças para calibração de padrões. As peças estão expostas em diversos salões do Catavento e são contextualizadas por sua relevância histórica.


Um pouco de história


As bombas de combustível “Coqueirinho”, da década de 1920, tinham funcionamento mecânico, com uso de manivela, e precisavam de acionamento manual para que o combustível subisse até a unidade de medida que ficava no topo da bomba. Uma vez preenchida com a quantidade de combustível desejada, o líquido se deslocava por gravidade pela mangueira até o tanque do veículo. Na década de 1940 já começaram a ser produzidas bombas com acionamento eletromecânico e até a década de 1990 as bombas seguiam esse padrão, mantendo uma manivela acoplada para garantir o abastecimento em caso de pane.


“Vale salientar que o posto de combustível como conhecemos hoje, com estrutura de prestação de serviços, não existia no início do século. As ‘coqueirinhos’ eram ‘bombas de calçada’, que contavam com um funcionário para fazer o abastecimento. A partir das décadas de 1940 e 1950 que tiveram início a implantação nos Estados Unidos e posteriormente no Brasil de estruturas mais complexas, com espaços para troca de óleo, por exemplo”, esclarece Modonezi.

Já as balanças expostas são mecânicas, de braços iguais, e consideradas de excelente qualidade metrológica por sua precisão. É o caso da alemã August Sauter, balança de precisão que era armazenada em uma redoma de vidro por ser muito sensível e para que as pesagens não sofressem interferência do ar.


Serviço

O Catavento Cultural está localizado na Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/n – Parque Dom Pedro II, no Brás.
O horário de visita é de terça a domingo, das 9h às 17h. Os ingressos custam R$ 6,00 e aposentados, portadores de necessidades especiais, estudantes com carteirinha e crianças de 04 a 12 anos pagam meia-entrada.
Aos sábados o ingresso é gratuito a todos.
Informações em www.cataventocultural.org.br.



Fonte:IPEM-SP