Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Peça Pedro e o Capitão volta e...

Peça Pedro e o Capitão volta em cartaz

Publicada em : 19/12/2013

Montagem inédita do consagrado escritor latino–americano faz uma reflexão crua e realista sobre a violência dos regimes opressivos

Divulgação
Pedro e o Capitão, escrita em 1979, oferece ao público brasileiro a oportunidade de apreciar uma obra inédita de Mario Benedetti,  consagrado escritor latino–americano.   A direção é de Marcos Loureiro, com Kiko Vianello e Fernando Belo no elenco.

Pedro e o Capitão reproduz, em cada um de seus 4 atos, as  sessões de interrogatório de um preso político (Pedro) por um oficial da inteligência militar (O Capitão).  A violência é retratada de forma indireta – em nenhum momento a tortura física é mostrada, mas Pedro, de uma sessão para outra, aparece cada vez mais machucado.

Em que pese a situação extremada na qual os personagens se encontram, a peça não é construída como confronto entre um monstro e um santo, mas entre dois homens de carne e osso, que compartilham zonas de vulnerabilidade e de resistência.

Nas palavras do próprio Benedetti, Pedro e o Capitão é “uma indagação dramática sobre a psique de um torturador”, onde se cruzam a coragem e a covardia, a capacidade de sacrifício, a moral, o ânimo e a sensibilidade face ao sofrimento,  na complexa teia de razões que embasam o comportamento humano.

O diálogo entre Pedro e o Capitão postula, por meio de um vasto arco de emoções, o que resulta, em nossa condição de mortais, das escolhas de cada um –pessoais e intransferíveis.

“Resistir é Preciso”
A temporada de Pedro e o Capitão coincide com a exibição da exposição “Resistir é Preciso”, idealizada pelo Instituto Vladimir Herzog, que será aberta no dia 12 de outubro, e que traz à tona a resistência dos meios de comunicação durante a ditadura. 

Com este paralelo entre Artes Visuais e Teatro, o CCBB contribui para fomentar o debate sobre a memória da ditadura.

Sobre o autor: Mario Benedetti (1920-2009) é considerado um dos principais autores uruguaios. Benedetti escreveu mais de 80 livros de poesia, romances, contos e ensaios, assim como roteiros para cinema.O romance “A Trégua” lhe deu projeção internacional e foi traduzida em mais de 19 países.

O escritor soube mostrar, em sua única peça que tem autorização para ser montada, que para chegarmos num futuro mais feliz  é preciso não termos medo de encarar o passado. Ao contrário, podemos extrair da dor do passado a força necessária para a construção do futuro. 

“Não pratico uma literatura – e menos ainda um teatro- derrotista e choramingas, destinado a inspirar pena e comiseração. Precisamos recuperar a objetividade, como um dos meios de recuperar a verdade, e temos que recuperar a verdade como uma das formas de merecer a vitória”.

FICHA TÉCNICA

PEDRO E O CAPITÃO

Texto:Mario Benedetti

Direção:Marcos Loureiro

Tradução:Marcos Rivera

Elenco: Fernando Belo, Kiko Vianello

Figurino: Cassio Brasil

Cenário: Omar Salomão

Iluminação: Fran Barros

Trilha Sonora: Dr. M: Marcelo Cordeiro

Fotos: Alexandre Catan

Assessoria de Imprensa: Flavia Fusco

Assistente de Direção: Regis Trovão

Produção Executiva: Daniel Palmeira

Coordenação Financeira: Cleo Chaves

Direção de Produção: Carlos Mamberti

Idealização: Fernanda Couto

Produtora Associada: VGI

Realização: CD4 Produções e Ananda Produções


Serviço

Estreou dia 31 de outubro. Temporada 2013 até 13 de dezembro, de quarta a sexta-feira, às 20 h.

Temporada 2014: de 08 a 19 de janeiro, de quarta a sábado às 20h e domingo às 19h.


CCBB

Rua Álvares Penteado, 112 – Centro – SP

Próximo às estações Sé e São Bento do Metrô

Informações (11) 3113-3651 / 3113-3652

bb.com.br/cultura  /  twitter.com/ccbb_sp  /  facebook.com/ccbbsp

SAC 0800 729 0722 / ouvidoria BB 0800 7295678

Deficiente Auditivo ou de Fala 0800 729 0088

Classificação etária: 16 anos. Duração: 75 min. Gênero: Drama

Capacidade: 130 lugares. Bilheteria: quarta a segunda – 9h às 21h.

Valor Ingresso – R$ 10,00 – inteira – R$ 5,00 – meia.

Estacionamento conveniado

Rua da Consolação, 228 – Ed. Zarvos (R$ 15,00), com transporte gratuito até as proximidades do CCBB

Fonte:Flavia Fusco Comunicação