Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Cidades em Tiras

Cidades em Tiras

Publicada em : 09/12/2013

Depois de passar pela capital pernambucana, Cidades em Tiras traz ao ABC Paulista um olhar sobre as grandes cidades brasileiras das décadas de 1980 e 1990, por meio de histórias em quadrinhos produzidas por cartunistas deste período



Com mais de cem revistas originais, produzidas entre os anos 1980 e 1990, a mostra apresenta trabalhos de quadrinistas como Fernando Gonsales, Marcatti, Spacca, Laerte, Adão, Luís Gê, Newton Foot, Angeli, entre outros. São artistas que conceberam representações singulares sobre as metrópoles brasileiras, ganhando repercussão artística nacional e internacional. Nas páginas dessas revistas surgem cidades caóticas, violentas, com seu tráfego de veículos eternamente congestionado, socialmente tensa e portadora de edifícios que impedem uma visão para além do concreto.

Há certo senso comum de que os anos 80 no Brasil constituíram um período culturalmente pobre, dominado por uma indústria de entretenimento alienante e de baixa qualidade. Se por um lado é fato que essa produção cultural predominou nos meios de comunicação de massa, por outro, houve também um forte contraponto, nascido num cenário menos comercial, que tem nas histórias em quadrinhos um de seus carros-chefes.

Vale lembrar que todo esse movimento artístico cultural surgiu em um Brasil que acabara de se libertar de um sistema político autoritário: o Regime Militar. Vale reforçar também que as revistas e tirinhas em exposição também comentaram a elaboração da Constituição de 1988, além do movimento Diretas Já, importante passo da sociedade brasileira rumo à abertura democrática no início da década de 1980.

Oriundos, em sua maioria, da imprensa alternativa que lutava contra o regime militar e buscava trabalhar com novos elementos gráficos e estéticos do universo da contracultura e do underground – fugindo, portanto, de um discurso que defendia única e exclusivamente a revolução socialista –, os novos artistas quadrinistas procuravam renovar a linguagem dos quadrinhos e assim o fizeram. As publicações eram voltadas para um público adulto e partiam de editoras pequenas. Revistas como Chiclete com Banana, Geraldão, Circo, Piratas do Tietê e Níquel Náusea traziam um leque de temas e suas narrativas calcadas no humor visual convergiam para um único cenário: as grandes cidades.

Neste sentido, deve-se pensar que o cenário metropolitano teve influência fundamental na própria composição das histórias e personagens, pois este é ponto de partida para as atitudes, pensamentos, emoções e a própria linguagem presentes nas HQs. Como exemplo, pode-se apontar o rio Tietê, poluído pela indústria, como sendo a área onde vivem os Piratas do Tietê (Laerte) - abraçada em 1990 pelo jornal Folha de São Paulo; o trânsito, a violência e a hipocrisia paulistana levaram Bob Cuspe (Angeli) a optar por morar no esgoto; O rato Níquel Náusea (Fernando Gonsales) apresenta as dificuldades de se viver num lixão produzido pela sociedade de consumo.

A exposição Cidades em Tiras: a Metrópole Brasileira Através das Histórias em Quadrinhos constitui, portanto, uma oportunidade para o público refletir sobre as representações feitas sobre as cidades brasileiras partir de um viés pouco convencional, o das histórias em quadrinhos.

A exposição, que conta com equipe de educadores e programação integrada, pretende reproduzir em diversos tamanhos e formatos histórias em quadrinhos contidas nas revistas Chiclete com Banana, Piratas do Tietê, Geraldão, Circo, e Níquel Náusea, as quais abordam as cidades brasileiras como cenário e desnudam o comportamento de seus personagens, figuras intimamente ligadas aos modos de vida nas grandes metrópoles.

À frente da curadoria está André Luís Sanchez Cezaretto, graduado em História pela Universidade de São Paulo, especialista em História, Sociedade e Cultura e mestre em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Em sua pesquisa de mestrado, Luís abordou a revista Chiclete com Banana como fonte de pesquisa histórica, trabalhando com temas referentes à vida urbana na cidade de São Paulo durante a década de 1980. Foi responsável por ministrar, em 2012, o curso “De Quadro a Quadro: introdução à história das HQs”, nas Caixas Culturais de Brasília, Salvador e Recife.

SERVIÇO:

Na Galeria.
Livre
Grátis
11/12 a 09/03.
Terça a sexta, das 10h às 22h.
Sábados, das 10h às 20h.
Domingos, das 10h às 19h.
No dias 24/12, 25/12 ,31/12 e 01/01 a Unidade estará fechada.

SESC Santo André
Rua Tamarutaca, 302 - Vila Guiomar
Telefone para informações/publicação: (11) 4469-1200
Acesso para deficientes físicos
Estacionamento no próprio SESC: R$ 2,00 a primeira hora e R$ 1,00 cada hora adicional (desconto de 50% para matriculados)

Fonte:Jade Stella - Assessoria de Imprensa