Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Florilégio Musical II - Nas On...

Florilégio Musical II - Nas Ondas do Rádio

Publicada em : 17/10/2013

O espetáculo é uma homenagem aos clássicos da era de ouro

Joao Caldas

No primeiro Florilégio Musical - que estreou em 2010 e esteve em cartaz até este ano, em viagens pelo Brasil -, os atores Mira Haar e Carlos Moreno celebravam a paixão e a amizade de longa data. O tema era a flor. No novo espetáculo, o tema é a própria música. Agora a dupla se transforma em trio, com a entrada da atriz Patrícia Gasppar, e convida o público a fazer um passeio pelos anos de ouro do rádio, as décadas de 30, 40 e 50. Homenagem à era do Rádio, com seus reis e rainhas, Florilégio Musical II - Nas Ondas do Rádio estreia dia 13 de outubro, para sessões aos sábados e domingos, às 16h, no Museu da Casa Brasileira, com direção de Elias Andreato e direção musical e arranjos de Jonatan Harold.

O roteiro e texto, elaborado pelos próprios atores, apresenta um espetáculo variado com canções de Cartola, Ataulfo Alves, Zé Keti, Dorival Caymmi, Herivelto Martins, Assis Valente, Lupicínio Rodrigues, Ary Barroso, Chocolate e Noel Rosa. Um dos destaques fica por conta da emblemática Os Cantores do Rádio, de Alberto Ribeiro, João De Barro e Lamartine Babo. A pesquisa realizada pelos atores chegou a mais de 500 canções. O roteiro foi construído por todos. Mira entrega: “Nossa senhora da internet foi a fonte. Eu e Carlinhos ficamos literalmente 40 dias na internet sem parar”.

Na abertura do novo Florilégio, os versos de Lamartine Babo em Cantores de Rádio: Nós somos as cantoras do rádio/ Levamos a vida a cantar/De noite embalamos teu sono/De manhã nós vamos te acordar/Nós somos as cantoras do rádio/ Nossas canções cruzando o espaço azul/ Vão reunindo num grande abraço/Corações de Norte a Sul.

Para amarrar o leque de canções foram criados mais seis blocos. Rainhas e Rei, Brejeiras, Dor de Cotovelo, Festa Baile, Sentimental e Brasil: Futebol, Mulata e Samba. A introdução conta com a vinheta própria do espetáculo, já a Entrada dos Artistas e o Encerramento são embalados, também, pelo Hino ao Músico, de Nanci Wanderley, Chico Anysio e Dorival Silva.

No novo Florilégio, Patrícia Gasppar entra para fazer companhia à dupla. Assim como Dalva de Oliveira e Herivelto Martins (o clássico trio de ouro) quando recebiam um convidado na época de ouro das ondas radiofônicas. “É uma tour pelos anos 30, 40 e 50, uma viagem que passa por vários estilos, um trabalho de resgate”, diz Mira Haar, explicando existir uma exigência vocal para atingir as notas das orquestras e big bands. “Inserimos licenças poéticas e temos até um pouco da referência da TV, pois logo no começo dos anos 60 os shows de rádio passaram para a televisão.”

Se a velha guarda é o público do espetáculo, os artistas também ganharam fãs mais jovens com o tom divertido das apresentações. “Começamos com um público de mais idade. Depois, atingimos o jovem pelo jeito engraçado com que interpretamos. A gente gosta de fazer uma graça com as músicas mais contemporâneas”, afirma Mira Haar. “Somos atores que cantam, não somos cantores. Assim, nossa interpretação é carregada de humor, que é onde nos seguramos”, completa Carlos Moreno, ressaltando a qualidade musical das orquestrações.

Cenário e figurino ficam por conta de Mira Haar e seguem atmosfera da época das canções, mesclando luxo e bom humor. “Um pouco chique, um pouco engraçado”, revela a atriz, que trabalhou com cores mais tropicais. O cenário colorido também tem inspiração no mundo musical. Destaque para elementos cênicos que remetem à imagem de partituras, LPs e acordes musicais.

O diretor musical Jonatan Harold – que toca teclado ao vivo – ressalta os arranjos musicais. Com uma pincelada na adaptação para o contemporâneo, ele buscou os timbres, a orquestração e a estética daquela época.  “A principal característica é o rádio, as músicas têm uma orquestração e uma linha de melodia bem ricas. Se antes o som do rádio era mais médio e agudo, agora serão acrescentadas notas graves, o que dará um tom mais contemporâneo às cenas.”

Para o diretor Elias Andreato, a montagem é uma mistura de homenagem e emoção para quem for conferir. “Florilégio valoriza a memória do rádio, um tempo que o veículo começava a perder espaço para a televisão, os shows com orquestras e artistas renomados ficaram cada vez mais extintos. Além do lado engraçado, a plateia se emociona, pois o repertório tem um ar nostálgico”, diz Elias, lembrando que Mira Carlinhos e Patrícia são atores que cantam bem.

“Durante o processo, o número de músicas encontradas não parava de subir, pesquisamos uma época rica e dourada do rádio. Diferente do primeiro Florilégio, que trabalha com canções nacionais e internacionais, focamos na música brasileira desta vez”, conta Carlos Moreno.

Com Florilégio Musical, Mira Haar e Carlos Moreno fizeram uma carreira de três anos com apresentações na Grande São Paulo (Teatro Paulo Eiró, Museu da Casa Brasileira, Estação Pinacoteca, Teatro Zanoni Ferrite), ABC (Santo André) e Interior paulista (Americana, Bragança Paulista, Espírito Santo do Pinhal, Itatiba, Santana do Parnaíba, São José do Rio Pardo, Sorocaba, São José dos Campos, Caraguatatuba, Mogi das Cruzes e Taubaté), além do Rio de Janeiro. No total, mais de 38.000 espectadores conferiram a montagem.

Para Roteiro
Florilégio Musical II - Nas Ondas do Rádio. Temporada – Sábados e domingos, às 16 horas, a partir de 13 de outubro. Pré-estreia: 5 e 6 de outubro às 16hs. Museu da Casa Brasileira. Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 – Jardim Europa. Telefone - 3032-3727 / 3032-2564. Site – http://www.mcb.sp.gov.br/. Duração: 70min. Capacidade do local: 220 lugares. á estacionamento no local - valor nos dias do espetáculo: R$ 12,00 (valor em dia normal: R$ 20,00. Até 15 de dezembro. Ingresso – Gratuito

Ficha Técnica
Direção – Elias Andreato. Elenco – Carlos Moreno, Mira Haar e Patricia Gasppar. Roteiro - Mira Haar, Carlos Moreno e Elias Andreato. Arranjos e Direção Musical - Jonatan Harold. Preparação Vocal - Caio Ferraz. Tecladista - Jonatan Harold. Cenários e Figurinos - Mira Haar. Fotos – João Caldas. Produção Executiva: Rosangela Longhi. Gerência administrativa - Sonia Kavantan. Patrocínio: Bombril. Apoio: Lei de Incentivo à Cultura - Ministério da Cultura.

Fonte:ARTEPLURAL – Assessoria de imprensa