Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Mombojó na Choperia do SESC Po...

Mombojó na Choperia do SESC Pompeia

Publicada em : 10/10/2012

Quarto álbum dos recifenses do Mombojó marca a história do grupo e sua trajetória na música nordestina brasileira


Herdeiros diretos do manguebeat, movimento musical do nordeste brasileiro, os recifenses do Mombojó lançam 11º aniversário, álbum de comemoração que revisita clássicos do grupo com novas sonoridades, em apresentação no Sesc Pompeia, dias 19 e 20 de outubro, sexta e sábado, às 21h30, na Choperia. O show integra a programação do projeto Plataforma, criado pelo SESC para promover o lançamento de discos.

Em 11º Aniversário, o grupo apresenta uma espécie de “balanço” da primeira década de sua carreira promissora, criando e recriando antigas composições e clássicos que fizeram história na música nacional. O álbum também celebra um manifesto da nova maturidade musical recifense.

As releituras permeiam todas as estéticas e sonoridades: o peso dos metais e guitarras da canção Vazio e Momento, do segundo álbum do grupo (Homem-Espuma, de 2006), dão espaço a sutilezas eletrônicas, falsetes e teclados inesperados. Aos poucos, convidados que participaram ativamente da história do grupo se inserem entre as faixas e contribuem com recriações cheias de intervenções musicais.

Na reinvenção de Faaca (canção de 2004, do primeiro disco, Nadadenovo), o Mombojó recebe a intervenção de Ígor Medeiros, produtor deste disco, enquanto a composição Estático conta com as participações dos músicos China e seu irmão Ximaru, ex-membros do Sheik Tosado, banda crucial entre os seguidores da geração Chico Science.

Já a faixa Baú recebe as teclas do pianista Vitor Araújo, contemporâneo do grupo, e Realismo Convincente (de Homem-Espuma) ganha a roupagem de Cannibal, líder da renomada banda pernambucana de hardcore Devotos do Ódio e do projeto de dub Café Preto. Para finalizar, a tradicional Nação Zumbi, grupo de Chico Science que ajudou a formular o manguebeat, reinventa a faixa Justamente, celebrando a história do Mombojó.

Com produção assinada por Rodrigo Sanches (que já produziu o terceiro disco da banda e trabalhou ao lado de nomes como Cansei de Ser Sexy, Max de Castro e Madrid), o álbum comemorativo foi gravado em pouco mais de duas semanas no estúdio da gravadora Trama e marca o início de uma nova identidade da música recifense, reiterada por nomes como Karina Buhr e A Banda de Joseph Tourton.

Iniciado como um movimento de contracultura da década de 90, o mangue beat condensa os ritmos regionais do nordeste com o rock, hip hop, o funk e a música eletrônica, desfilando críticas contra o abandono econômico-social do mangue e a gritante desigualdade de Recife. Seu ícone mais conhecido é o músico Chico Science, falecido vocalista do grupo Nação Zumbi.

Formado dez anos após o surgimento do manguebeat, o Mombojó é fruto desta nova mentalidade musical e social recifense que apoia-se não mais na necessidade de referências a raízes nordestinas, ao caboclo de lança e aos maracatus, mas sim como um pivô intermediário entre a cultura tradicional pernambucana e a iminência do digital, da música eletrônica e a reinvenção rítmica do hip-hop.

Ao longo de sua trajetória, o grupo recebeu elogios e descréditos da crítica, foi abraçado pelo público e passou por situações trágicas e inesperadas, como a morte do flautista, trombonista e violonista O Rafa, em julho de 2007, e a saída do músico Marcelo Campelo, reduzindo a formação do grupo ao atual quinteto. Desde então o grupo tem desenvolvido uma base consistente de fãs pela internet, tocando nos principais festivais do Brasil e lançando discos que os elencaram à condição de protagonista da atual cena pernambucana.

SERVIÇO: 
Mombojó lança disco 11º Aniversário no SESC Pompeia:
Dia 19 e 20 de outubro de 2012, sexta e sábado, às 21h30, na Choperia.
Marcelo Machado (guitarras), Vicente Machado (bateria e samplers), Chiquinho (teclado e samplers), Felipe S. (voz e guitarra) e um músico convidado a cada apresentação (baixo).
Classificação indicativa: Proibido para menores de 18 anos. 
Ingressos: R$ 20,00 (inteira); R$ 10,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 5,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes).
Duração: 90 minutos
Lotação: 800 pessoas
SESC Pompeia – Rua Clélia, 93
Telefone para informações: (11) 3871-7700
Não temos estacionamento. Para informações sobre outras programações, ligue 0800-118220 ou acesse o portal www.sescsp.org.br.
Horário de funcionamento da Bilheteria – De terça a sábado das 9 às 21 horas e domingos e feriados das 9 às 19 horas (Ingressos à venda a partir das 14h do dia 01 de agosto pela rede ingressoSESC em todas as unidades)
Formas de pagamento - Cheque, cartões de crédito (Visa, Mastercard e Diners Club International) e débito (Visa Electron, Mastercard Electronic, Maestro e Redeshop).

Fonte:Arteplural Comunicação