Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Fazer Arte

Fazer Arte

Publicada em : 15/08/2012

rupestres das Cavernas de Lascaux à arte de Tomie Ohtake, uma jornada de mais de 40 mil anos


Quem assistir o espetáculo passará pelas pinturas rupestres e egípcias, as obras de Da Vinci, Velázquez, Van Gogh, Kandinsky, Mondrian e Tomie Ohtake. Em cena, pintores e movimentos artísticos são transportados para o mundo infantil de maneira lúdica. Proposta é instigar as crianças a entrarem em contato com a arte. Com essa atmosfera rica e cheia de estética, Fazer Arte chega aos palcos do Teatro APCD no sábado, 18 de agosto, às 16 horas. 

Na trama, as cores primárias Vermelha e Azul saem dos quadros para fazer uma viagem no tempo e levam o público a entrar em contato com importantes pintores, obras e movimentos artísticos, de forma dinâmica e lúdica. A montagem é interativa e faz com que o público participe das cenas. “As estáticas pinturas ganharam vida nos palcos. Queremos instigar as crianças a mergulhar e se apropriar do mundo artístico. É uma maneira de diminuir a distância entre eles”, diz a diretora.

O espetáculo passa pelas pinturas rupestres, egípcias, obras de Leonardo da Vinci, Diego Velázquez, Vincent Van Gogh, Gustavo Courbe, Wassily Kandinsky, Pieter Mondrian e Tomie Ohtake. Uma mistura de épocas, culturas, países e estilos diferentes. Marilia Risi e Eliana Teruel levaram cerca de um ano para atingir a concepção ideal da montagem.

A diretora enfatiza que em apresentações anteriores já constatou os resultados da peça. “As crianças pedem para os pais levá-las em museus. O espetáculo funcionou para despertar a curiosidade e aproximá-las do universo da história da arte. O interessante é que uma das maiores descobertas da área foi feita por crianças em 1940: as pinturas das Cavernas de Lascaux, datadas de 15.500 A.C”, conta.

O cenário serve para alimentar a imaginação ao ser recheado de objetos cênicos coloridos. A trilha é usada de maneira cômica e cria uma ambientação em cena. A iluminação explora as dimensões de cores, dialoga com os personagens, traz efeitos e distorções para originar a sensação de viagem no tempo.

O figurino incorporou o espírito artístico da peça. Vermelha, interpretada por Eliana Teruel, tem um vestido barroco espanhol, como se fosse uma obra do pintor Diego Velázquez, do século XVII. Já Marilia Risi vive a personagem Azul, caracterizada como se fosse uma mulher da corte francesa do rei Luís XVI. Ambas as personagens escondem adereços que são usados nos palcos para causar surpresa na plateia.

“Essa temporada será um desafio. O Teatro APCD possui acústica e palco excelentes, além da ótima localização. Fazer um espetáculo para crianças é gratificante, elas dão uma resposta imediata, uma motivação para se esforçar e proporcionar um trabalho cada vez melhor”, finaliza Marilia.
(Renato Fernandes – julho de 2012)

PARA ROTEIRO:
FAZER ARTE – Reestreia sábado, 18 de agosto, às 16h. Dramaturgia: Eliana Teruel. Direção: Marilia Risi. Atuação: Eliana Teruel, Marilia Risi. Stand in: Thaís de Almeida Prado. Participação Especial: Vera Sarlanis. Preparação de Voz: Carmina Juarez. Música original: Carmina Juarez, Felipe Pinheiro de Souza. Letras: Eliana Teruel. Trabalho de Corpo: Key Sawao. Figurino e Espaço Cênico: Marilia Risi. Adereços: Fernando Leite. Kalimba Mecânica: Rodrigo Azevedo. Cenotecnia: Mariana Petrone. Iluminação: Lucia Galvão. Projeto Gráfico: Estefi Machado – Toranja Rosa. Linha do Tempo: Emilia Albano. Fotografia: Bárbara Allain. Registro em Vídeo e Edição: Juliana Rojas. Produção: Waldrônicas/Cia. Poliedro de Teatro. Duração: 75 minutos. Gênero: Infantil. Classificação: Livre. Capacidade: 800 lugares. Ingressos: R$ 30 (Inteira), R$ 15 (Meia) e R$ 10 (Associados APCD). Temporada: Sábados e domingos às 16hs. Até 30 de setembro.

TEATRO APCD. Rua Voluntários da Pátria 547 – Santana – São Paulo/SP. Telefone: (11) 2223-2424 Lotação: 800 lugares. Bilheteria: De quarta-feira a sábado, das 15h às 22h, e domingo, das 15h às 20h. Pagamento: Cartões: Visa, Mastercard e Good Card. Estacionamento no local, coberto e com seguro. A 100 metros da estação do metro Tietê. (http://www.apcd.org.br/teatroapcd/)

Fonte:Arteplural Comunicação