Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ A Travessia da Calunga Grande

A Travessia da Calunga Grande

Publicada em : 12/06/2012

Desde 2006 a Cia Livre tem se dedicado à pesquisa sobre mitos, morte e renascimento na cultura brasileira


A peça aborda a formação do povo brasileiro a partir de uma releitura da obra Édipo Rei, de Sófocles. A saga, que acontece no interior de um navio negreiro entre Brasil e África, toca em temas como crise de identidade e funcionamento das estruturas de poder da sociedade.

Depois de um ano de pesquisa sobre os mitos ameríndios (lendas dos povos indígenas das Américas), a Cia Livre aprofunda investigação na relação entre África e Brasil e traça uma revisão crítica na construção do passado histórico dos brasileiros. O espetáculo e o projeto de pesquisa têm Patrocínio da Petrobras e é contemplado pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

África e Brasil já resultam em um rico conteúdo histórico social e artístico, mas a trupe de Cibele Forjaz, “a pequena notável do teatro paulista”, foi além, e, para tal investigação, aprofundou sua pesquisa em uma geografia ainda mais distante com a obra Édipo Rei, de Sófocles, para, só então, criar a dramaturgia do espetáculo. “Construí o texto a partir do cruzamento do nosso estudo com história de Édipo para traçar um paralelo com a questão da identidade cultural”, explica a dramaturga Gabriela Almeida.

“Partindo desse mito, propomos articular as ambiguidades da mestiçagem do nosso povo, onde permanecem a marca da origem da escravidão e as relações econômicas e sociais baseadas na desigualdade”, completa Cibele Forjaz.

Para roteiro:
A Travessia da Calunga Grande – Oficina Cultural Oswald de Andrade. Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro. Fone: 3221-4704. Funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 22h; sábado, das 10h às 22h. Sábados dias 16, 23 e 30 às 20 horas. Ingressos gratuitos, retirados meia hora antes na bilheteria da Oficina. Dramaturgia - Gabriela Almeida em parceria com a Cia.Livre. Direção - Cibele Forjaz. Elenco - Lúcia Romano, Tatih Ribeiro, Edgar Castro, Eduardo Silva, Eduardo Gomes, Raoni Garcia, Sidney Santiago. Músicos - Lincoln Antonio e Beth Beli. VJ – Jair Molina. Direção de Arte, Cenografia e Figurino - Simone Mina. Iluminação - Alessandra Domingues. Direção Musical - Lincoln Antonio. Direção de Ritmo - Beth Beli. Preparadora vocal - Lúcia Gayotto. Preparadora Corporal - Lu Favoreto. Operação de luz - Felipe Boquimpani. Contra-regras – Elizete Jeremias. Cenotécnico - Wanderley Wagner da Silva. Operador de Som - Pedro Vinci. Assistente de direção – Luaa Gabanini. Assessoria de imprensa – Arteplural. Assistente de produção - Daniel Cordova. Produção Executiva: Eder Lopes. Direção de produção - Eneida de Souza. Criação e realização - Cia.Livre. Duração – 2h45 minutos.

Fonte:Arteplural Comunicação