Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Virada Cultural no Sesc Belenz...

Virada Cultural no Sesc Belenzinho

Publicada em : 04/05/2012

O SESC Belenzinho participa da 8ª edição da Virada Cultural nos dias 5 e 6 de maio


O SESC Belenzinho participa da 8ª edição da Virada Cultural, evento realizado pela Prefeitura Municipal de São Paulo em parceria com o SESC SP, nos dias 5 e 6 de maio, que propõe 24h ininterruptas de cultura. A programação traz atividades nas áreas de teatro, música, dança, artes plásticas, literatura, cinema, cultura digital e infantil.

Uma Balada para Nelson Rodrigues celebra o centenário de nascimento do criador do teatro brasileiro moderno com uma série de espetáculos de teatro, dança, performances, leituras encenadas, intervenções, exibições de filmes e shows, propondo uma imersão na vida e obra do escritor, jornalista e dramaturgo. A programação propõe uma imersão no universo de histórias recheadas de amor, traição, crimes passionais, incesto e erotismo.

Todos os eventos são gratuitos. Para os espetáculos nos espaços fechados (Comedoria, Teatro e Salas de Espetáculos I e II), haverá distribuição de ingressos, a partir das 14h do dia 5/5, nas bilheterias de todas as unidades do SESC SP (Rede IngressoSESC), limitados a dois ingressos por atividade. Nos demais espaços abertos, não haverá distribuição de ingressos.

TEATRO

espetáculos

17 X Nelson Se é Eterno, Não é Amor
Direção: Nelson Baskerville. Doze atores circulam por cerca de 50 personagens de 17 peças do autor, lançando-se através do épico, por uma aventura rodrigueana que tem como ponto de vista o núcleo familiar, seus confrontos e neuroses. As cenas são apresentadas ao público com o uso de projeções, letreiros, narradores, microfones e o grito de agonia do irmão assassinado serve como fio condutor para o mergulho na obra dramática de Nelson Rodrigues.
Direção: Nelson Baskerville.
Elenco: Adilson Azevedo, Luciana Azevedo, Gabriela Fontana, Adriana Guerra, Amanda Pereira, Carolina Parra, Carol Carreiro, Lívia Ziotti, Marcos Ferraz, Michel Waisman, Willians Mezzacapa.
Duração: 100 minutos. 120 lugares.
Sala de Espetáculos II.
Duração: 100 minutos. 120 lugares. Não recomendado para menores de 16 anos.
Dia 5/5. Sábado, às 20h45.

A Desconstrução do Anjo Negro, por Os Crespos
Intervenção Poética Política inspirada na Obra Anjo Negro de Nelson Rodrigues. Peça teatral trágica escrita em 1946 que aborda as questões raciais. Na trama de Anjo Negro, Nelson aborda a violência nas suas mais diversas formas, das mais variadas naturezas, em constantes situações. Numa sociedade dominada pelo branco, a única estratégia aparente de inserção é a adoção da ética branca, dominadora e autoritária. Repudiando sua cor e origem, Ismael desfruta dos privilégios do branco: dinheiro, status, prestígio e uma mulher também branca. Os Crespos, numa intervenção dividida em três partes, mantém a tragédia como discurso, pois somente o trágico daria conta de desvendar essa realidade brasileira relegada às trevas – o racismo, desvelando questões não aparentes no texto de Nelson e destrinchando as relações propostas no texto, num percurso que vai do desmanche social ao sonho, criando uma ponte entre o inconsciente coletivo e uma realidade proposta possível de igualdade social.
Com: Coletivo teatral “Os Crespos”.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dias 5 e 6/5. Sábado, às 23h45; domingo, às 0h30 e às 2h.

Doroteia – Uma Farsa Irresponsável, por Élcio Nogueira
Leitura dramática encenada da história de Doroteia. Depois de alguns anos afastada da família, Doroteia, que havia resolvido se prostituir com a morte de seu amante, procura suas primas para ter uma vida decente. No decorrer da história, inicia-se uma tentativa irracional de levar Doroteia ao caminho da virtude. O enredo envolvente e repleto de fantasias fará o leitor conhecer um mundo caótico, onde o feio é a representação da pureza.
Direção: Élcio Nogueira. Elenco: Ed Moraes e Regina França.
Duração: 30 minutos. 100 lugares.
Sala de Espetáculos I.
Não recomendado para menores de 16 anos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, às 23h45.

Drive-Thru Rodriguiano
“Drive-Thru” é uma intervenção performática teatral nômade que propõe a utilização de espaços físicos alternativos, como: calçadas, praças, museus, etc; deslocando o ambiente e a ação de ir ao teatro. Ao "satisfazer" de forma rápida e prática a necessidade de entretenimento dos transeuntes, o espetáculo ironiza o fast-food e a sociedade de consumo, apresentando um cardápio de monólogos que oferecem temas e personagens enlatadas, prontas para consumo. Com a Cia Teatro Enlatado.
Com a Cia Teatro Enlatado.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, das 20h às 02h.

O Beijo no Asfalto, por Marco Antonio Braz
Uma das maiores tragédias de Nelson Rodrigues, a peça começa com o atropelamento de um homem por um ônibus. Vendo-a à beira de uma inevitável morte, ele pede um beijo ao jovem que o acudia, Arandir. Um repórter e um delegado presenciam a cena, desencadeando uma verdadeira perseguição ao rapaz, que começa a sofrer intrigas em casa, no trabalho e em todos os lugares que habita.
Direção: Marco Antônio Braz. Elenco: Renato Borghi, Élcio Nogueira, Gabriela Fontana, Carol Carreiro, Willians Mezzacapa, Michel Waisman, Rafael Boese, Adriana Guerra, Carolina Parra. Duração: 90 minutos.
Sala de Espetáculos II (120 lugares)
Não recomendado para menores de 16 anos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, às 18h.

Paixão
A performance é realizada por uma plateia sentada e vendada que escuta dos atores do grupo poemas e contos de amor e paixão, caros ao universo rodrigueano. Enquanto declamam os textos, os atores aguçam os sentidos dos participantes como olfato, tato, paladar, audição. Com: Grupo Sensus.
Duração: 45 minutos. 25 lugares. Sala de Espetáculos I.
Não recomendado para menores de 18 anos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, às 19h30 e 20h30.

A Falecida, por Cibele Forjaz
Leitura dramática encenada da peça de Nelson Rodrigues.
Direção: Cibele Forjaz. Elenco: Bel Teixeira, Eucir de Souza, Pascoal da Conceição. Participação especial: Aury Porto e Maurício de Barros. Direção de Arte: Simone Mina. Luz: Francisco Turbiani e Cibele Forjaz.
Duração: 70 minutos. Sala de Espetáculos I (100 lugares)
Não recomendado para menores de 16 anos. Grátis.
Dia 6/5. Domingo, às 2h30 e 15h.

Myrna - O Consultório Sentimental, por Elias Andreato
Em um estúdio de rádio da década de 50, encontra-se Myrna toda de negro. Quarentona, charmosa e muito elegante sua voz é delicada sem afetação. Myrna lê as cartas e fala franca e abertamente com seus ouvintes. Costurando as leituras, ouve-se uma trilha sonora de jingles e músicas da década de 50.
Roteiro Teatral e Direção: Elias Andreatto. Elenco: Nilton Bicudo. Cenógrafo e Figurino: Fábio Namatame.
Duração: 40 minutos. Espaço de Convivência. 50 lugares.
Não recomendado para menores de 16 anos. Grátis.
Dia 6/5. Domingo, às 0h30.

Os 7 Gatinhos, por Nelson Baskerville
A peça conta a história de uma família inteira que se joga num objetivo insano: todos se sacrificam, da forma mais impura, para que a irmã mais nova Silene case-se virgem num riquíssimo ritual. Para isso, as quatro irmãs mais velhas prostituem-se e guardam cada tostão para manter a irmã num colégio interno e fazer do casamento uma cerimônia inesquecível. Direção: Nelson Baskerville. Elenco: Renato Borghi, Élcio Nogueira, Roberto Borenstein, Willians Mezzacapa, Michel Waisman, Gabriela Fontana, Caroline Carreiro, Greta Antoine, Debora Veneziane e Adriana Guerra, Marcos Ferraz.
Duração: 90 minutos.
Sala de Espetáculos II (120 lugares)
Não recomendado para menores de 16 anos. Grátis.
Dia 6/5. Domingo, às 17h.

Vestido de Noiva – A Primeira Prova, por Grupo XIX de Teatro
Leitura dramática, realizada pelo Grupo XIX de Teatro. O texto começa com o atropelamento de Alaíde e a cena dividida entre três planos: o plano da realidade; o plano da memória, onde a personagem visita fragmentos de seu passado; e o plano da alucinação onde a personagem busca entender o que realmente aconteceu. Nesta leitura, as personagens são peças da engrenagem, mas o foco está sobre a diferença entre os planos e o trânsito entre eles.
Direção: Luiz Fernando Marques.
Com: Grupo XIX de Teatro.
Duração: 60 minutos.
Sala de Espetáculos I (100 lugares)
Não recomendado para menores de 16 anos. Grátis.
Dia 6/5. Domingo, às 00h45.

especial

A Menina Sem Estrela - Canto a Canto Rodriguiano
O espectador é convidado a escolher em uma das gavetas de uma pequena caixa, uma palavra. Isso é o pretexto para uma determinada sequência de textos de Nelson acompanhado de uma música. Como num segredo compartilhado, artista e espectador estabelecem um momento de proximidade único. Abordando as diferentes facetas de Nelson Rodrigues, utilizando algumas de suas máximas e pequenos textos diferenciados de peças, crônicas, cartas e principalmente textos do livro A Menina sem Estrela. Com o Grupo As Graças.
Com o Grupo As Graças.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, das 18h às 23h59.

À Sombra das Chuteiras Imortais, por Cia Elevador de Teatro Panorâmico
Em um ambiente de uma redação de jornal dos anos 50 (ambiente diário de Nelson Rodrigues, com seu mobiliário, suas máquinas de escrever, suas tabelas e gráficos tendo como fundo painéis e monitores com imagens sobre futebol), um ator, caracterizado como um jornalista, conta, narra, interpreta uma crônica de Nelson preservando seu humor, sagacidade e espírito crítico. As crônicas propostas apontam um protagonista e suas façanhas expandem sua reflexão e discutem as questões do “brasileiro”, termo que ele usa continuamente. Crônicas que rapidamente fazem um raio X do comportamento e dos padrões estabelecidos na sociedade brasileira.
Direção: Marcelo Lazzaratto. Elenco: Cia Elevador de Teatro Panorâmico.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, entre 18h e 02h.

Ambiências Rodriguianas
Intervenção cênica. Fatos das vidas dos personagens da literatura de Nelson Rodrigues são lembrados e divididos com o público. Núcleo Esquadros - Armazém XIX.
Direção: Luiz Fernando Marques.
Convivência e Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, das 21h às 02h

Contos para Você
Por meio de uma intervenção, um boneco seleciona papeizinhos sorteados por um realejo e apresenta ao público uma grande oportunidade para aqueles que não conhecem a obra rodrigueana de entrarem na particular atmosfera de sua escrita. Para aqueles já conhecem a obra de Nelson será, sem dúvida, um momento de prazer e deleite reencontrar esse mundo de paixões exacerbadas e personagens surpreendentes.
Com Realejo Poético.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, das 20h às 2h.

Coros Rodriguianos – Homens
Jornalistas, Médicos, Contínuos, Cafetões, Pederasta, Políticos, Juízes e Torcedores de futebol e outras figuras emblemáticas do universo rodrigueano, recorrentes em sua obra, apresentam uma dramaturgia coral de textos, por meio dessas personagens arquetípicas. Atores/personagens envolvem o público na atmosfera do jogo e ao mesmo tempo na literatura desse anjo pornográfico.
Direção Geral: Roberto Leite e Jair Asumpção.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, das 18h às 1h.

Coros Rodriguianos – Mulheres
Tias, engraçadinhas, beatas, professoras, estudantes adolescentes, prostitutas, noivas delirantes, ninfomaníacas e outras tantas personagens apresentam uma de suas histórias, queixas, questões, de forma polifônica, propiciando várias leituras de sua obra. Esta intervenção mergulha nas recorrências do universo feminino tão rico na obra do Nelson. Direção Geral: Roberto Leite e Jair Asumpção.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, das 18h às 1h.

Cruzamentos, por Cia do Miolo
Realizada em espaços de passagens e/ou cruzamentos, a intervenção recorta o momento em que Arandir, personagem chave da obra O Beijo atende ao último pedido de um homem que está prestes a morrer, vitima de um atropelamento. Depois do episódio as manchetes de jornais dão conta de deturpar o gesto solidário de Arandir. A intervenção retrata a partir desta história, as relações precárias da vida urbana, a ausência do afeto e a espetacularização da vida tão problematizada nesta obra. O beijo é multiplicado pelos atores diante das noticias que circulam na vida urbana e a trama em que Nelson vai envolvendo o herói. O Beijo, símbolo do gesto maior da obra é aqui elemento de surpresa e beleza das sarjetas e cruzamentos das ruas. Com a Cia do Miolo.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dias 5 e 6/5. Sábado, às 20h e 23h30; domingo, às 2h30

Fiel a Quem me Trai
Com uma narrativa não linear, apresentada em espaços de representação alternativos, com trilha sonora e iluminação feitas pelos próprios atores, utilizando-se velas, lampiões, lanternas, bacias, água e própria voz. É nesse contexto que a instalação encenada cria a atmosfera presente na obra rodriguiana. Suas personagens são apresentadas em diferente ordem e através do jogo entre atores, de forma próxima ao público para que coloque a plateia dentro deste universo proposto. Com Núcleo de Pesquisa Teatral Santa Viscera.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, das 20h às 02h.

Perdoa-me, por Cia do Miolo
O último ato da obra Perdoa-me por me Traíres de Nelson Rodrigues é o mote da intervenção proposta pela Cia do Miolo. O trecho em que o tio confessa ser o assassino da mãe de Glória, a tortura que exerce sobre a sobrinha, a sedução e a virada da jovem são apresentados aqui entre dois atores sob a suspensão do rapel, onde a encenação privilegia o jogo sugerido pelo autor: quem teme? Quem comanda? Quem mente? Quem morrerá? Que vida permanecerá suspensa diante dos olhos do espectador? Quem ganhará o direito de tocar o chão e seguir livre? No embate entre Tio Raul e Glorinha o encontro do falso beijo testemunhado nos ares. Provocada pela beleza e o suspense que marcam o final trágico e irônico de Nelson, a intervenção privilegia a tensão entre o alto e a queda, a sedução e morte, força e fragilidade de cada movimento/personagem. Com a Cia do Miolo.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dias 5 e 6/5. Sábado, às 19h e às 22h; domingo, às 0h30.

Universo Nelson Rodrigues
Nesta intervenção, “pocket shows” serão executados de forma itinerante pela unidade. Músicas se unirão a trechos de obras de Nelson direcionados ao público circulante. Com a Cia Os Náuticos.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, das 18h30 às 23h59.

Vendem-se Cenas - Nelson Rodrigues
Em homenagem ao centenário do dramaturgo brasileiro Nelson Rodrigues, o Núcleo Santa Víscera propõe a encenação de fragmentos de espetáculos de teatro de diferentes linguagens e estilos retirados do seu repertório, que variam entre o drama, a tragicomédia, realismo-mágico, teatro do absurdo e infantil. As cenas são oferecidas em um cardápio cênico composto por mais de 30 cenas, que variam de 3 a 8 minutos de duração. Com Núcleo de Pesquisa Teatral Santa Víscera.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, das 20h às 02h.

MÚSICA

shows

Na Trilha de Nelson com André Abujamra, André Frateschi, Wander Wildner, Cida Moreira e convidados
Com André Frateschi, Miranda Kassin, Wander Wildner, André Abujamra, Cida Moreira e Monique Maion. O show faz uma referência aos programas de auditório ambientados na década de 50, onde o apresentador (André Frateschi) convida artistas que cantam suas músicas preferidas ligadas ao universo rodriguiano. No intervalo entre as canções, atores interpretam personagens importantes da vida do autor e pequenos trechos da obra teatral e jornalística de Nelson Rodrigues. Com Ladislau Kardos (bateria), Rodrigo Fonseca (baixo), Fabio Pinc (violão, viola e guitarra) e Maestro Piero Damiani (teclado).
Comedoria. Duração: 1h20.
Não recomendado para menores de 16 anos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, às 23h59.

Samba Carioca com Casuarina, Roberto Silva e Wilson Moreira
O grupo de samba carioca, originado no lendário bairro da Lapa, apresenta repertório de sambas tradicionais, canções de Herivelto Martins (que completaria 100 anos em 2012) e do Trio de Ouro, além de músicas e sambas de Ataulfo Alves, Dorival Caymmy, Nelson Cavaquinho, Vinícius de Moraes e Baden Powell. Composto por Daniel Montes (violão sete cordas), Gabriel Azevedo (pandeiro e voz), João Fernando (bandolim e vocais), Rafael Freire (cavaquinho e vocais) e João Cavalcanti (percussão e voz). Participações especiais de Roberto Silva e Wilson Moreira.
Comedoria. Duração: 1h20.
Não recomendado para menores de 16 anos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, às 21h.

Orquestra Imperial – Gafieira para Boca de Ouro
Presente no ambiente boêmio do Rio, a gafieira, local onde por volta do fim do século XIX e início do século XX em diante, tradicionalmente as classes mais humildes podiam frequentar para praticar as danças de casal, ou danças de salão. Neste repertório, serão apresentadas Ela Rebola, Mascarada, Nem me Fale, Conselho, Beija-me, entre outras. Com o objetivo de formar uma orquestra típica de gafieira, o grupo, formado em 2002, reúne importantes nomes da cena pop carioca: Moreno Veloso, Kassin, Nina Becker, Thalma de Freitas e Rubinho Jacobina a experientes músicos, como o compositor da Império Serrano, cantor e baterista Wilson das Neves.
Comedoria. Duração: 1h20.
Não recomendado para menores de 16 anos. Grátis.
Dia 6/5. Domingo, às 03h.

DANÇA

espetáculos

O Beijo, por Cia Nova Dança 4 e Cristiane Paoli Quito
Um jogo de improvisação, um espetáculo de dança teatralizado e inspirado no universo rodriguiano, principalmente no aclamado O Beijo no Asfalto. Neste espetáculo, a Cia mergulha no melodrama, por meio de uma dramaturgia do texto que nos guia às construções de personagens, por meio de desenhos do corpo que se multiplicam em composição. Cada personagem tem três ou quatro desenhos de movimento/gestos que nos diz quem eles são ou o arquétipo que eles "representam" nesta tragédia carioca.

Direção e Concepção: Cristiane Paoli Quito. Intérpretes: Alex Ratton, Cristiano Karnas, Diogo Granato, Érika Moura, Gisele Calazans, Lívia Seixas, Isabel Tica Lemos. Músicos: Claudio Faria, Mariá Portugal, Natália Mallo e Danilo Penteado. Figurinos: Francisco Macchione e Larissa Salgado. Desenho de Luz: Marisa Bentivegna. Operação de Luz: Mauricio Paoli. Criação Musical: Claudio Faria, Natalia Mallo.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dias 5 e 6/5. Sábado, às 22h30; domingo, às 01h30

Tirando os pés do chão
O espetáculo é baseado no livro Myrna, Não se Pode Amar e Ser Feliz ao Mesmo Tempo, de Nelson Rodrigues, e em entrevistas feitas com diversas pessoas que relataram histórias e interpretações sobre o estado amoroso. Traz temas abordados nas cartas de Nelson Rodrigues, presentes no livro, para dentro do palco com comicidade e ironia.
Direção: Erica Rodrigues. Co-direção: Marco Vettore. Intérpretes-criadores: Cia. Cênica Nau de Ícaros. Duração: 60 minutos. 130 lugares.

Teatro.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, às 20h30 e 23h.

CULTURA DIGITAL

especial
UMA BALADA PARA NELSON RODRIGUES
Para celebrar o centenário de nascimento do criador do teatro brasileiro moderno -, o SESC Belenzinho apresenta uma série de espetáculos de teatro, dança, performances, leituras encenadas, intervenções, exibições de filmes e shows, propondo uma imersão na vida e obra de um dos escritores, jornalistas e dramaturgos mais importantes do país. Nestas 24horas, o público é convidado a viver neste polêmico e provocador universo da Flor da Obsessão. Bonitinhas mas Ordinárias, Damas da Lotação, Engraçadinhas, Falecidas e Bocas de Ouro marcam o universo de histórias recheadas de amor, traição, crimes passionais, incestos e muito erotismo, com a graça e a ironia desse Anjo Pornográfico.

Intervenção Multimídia | VJ Alexis Anastasiou
Projeção e remixagem de imagens e frases baseadas no universo rodriguiano elaborado pelo VJ Alexis Anastasiou.
Praça. Grátis.
De 05/05 a 06/05. Sábado a domingo, das 18h às 05h.

ARTES PLÁSTICAS E VISUAIS

exposições

CARMELA GROSS
Partindo de um exercício poético sutil entre o desenho, a escultura e a arte conceitual, a artista brasileira Carmela Gross apresenta ESCADAS, intervenção desenhada exclusivamente para o Átrio do SESC Belenzinho.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dias 5 e 6/05. Sábado, das 9h às 23h59; domingo, das 9h às 18h.

RISCO #1
Exposição voltada a artistas em início de trajetória profissional, dedicados às chamadas linguagens tradicionais. A primeira edição, com o mote “arte como trabalho”, reúne artistas onde a fatura da obra e os muitos processos envolvidos no fazer manual – suas potências e seus limites – são fundamentais para o desenvolvimento da poética e dos significados do trabalho. Artistas que vem redescobrindo possibilidades plásticas nos materiais e na linguagem, em propostas estéticas onde o único limite efetivamente estabelecido é o próprio fazer. Participam dessa edição os artistas: André Ricardo, André Yassuda, Christiana Moraes, Edith Reinhart, Luiz83 e Marco Willians. Curadoria: Núcleo da Imagem e da Palavra e Claudinei Roberto.

1º Pavimento.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dias 5 e 6/5. Sábado e domingo, das 9h às 18h.

especial

Escuto Histórias de Amor, por Ana Teixeira
Sentada em uma das cadeiras, a artista tricota e espera silenciosamente, por interlocutores. Pessoas se aproximam e relatam suas histórias de amor, as quais são ouvidas, sem nenhuma interferência da artista. Esta intervenção já foi realizada em países como Chile, Alemanha, Itália, Espanha França, Canadá, Portugal e Dinamarca durante os anos de 2005 e 2010. Com Ana Teixeira.
Área de Convivência.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, das 18h à 1h.

Nelson em Registro
Projeção dos registros fotográficos que foram realizados pelos fotógrafos Lenise Pinheiro e Emidio Luisi, de algumas montagens marcantes da obra de Nelson Rodrigues.
Galpão Multiuso e Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
05/05. Sábado a domingo, das 18h às 05h.

LITERATURA

especial

Expedição Rodriguiana
Viagem lítero-teatral pela 'rua Nelson Rodrigues'. As pessoas serão delicadamente convidadas para realizar pequenas tarefas lúdicas emocionais durante um período de 40 minutos. Estas tarefas podem ter um caráter mais intimista como uma leitura de um trecho da peça, uma observação de uma pequena cena, ou ser convidado a realizar uma pequena tarefa, uma dança ou mesmo recitar um pequeno diálogo rodriguiano. Núcleo Esquadros - Armazém XIX. Direção de Luiz Fernando Marques.
Pista de corrida e caminhada.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dias 5 e 6/5. Sábado, às 21h, 22h, 23h, 23h59; domingo, à 01h e às 02h.

Polvos Poéticos
Intervenção poética e sensorial, em que grupo de atores adentra o espaço com capacetes repletos de conduites plásticos criados pela atriz e diretora Thereza Piffer. Inspirados na velha brincadeira do telefone sem fio, os atores declamam fragmentos textos. Com o Grupo SENSUS.
Praça.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, às 18h, 22h, 23h 23h59

Uma Lotação para Dois Amantes
Leituras dramáticas baseadas em textos de A Vida Como ela É. Com Núcleo Esquadros - Armazém XIX. Direção de Luiz Fernando Marques. 35 lugares. Ônibus.
Livre para todos os públicos. Grátis.
Dias 5 e 6/5. Sábado, às 19h30, 20h30, 22h30, 23h30; domingo, às 01h30, 02h30

CINEMA E VÍDEO

Bonitinha, mas Ordinária, por J.P. de Carvalho
Brasil, 1963, 101 min, PB. Direção: J.P. de Carvalho. Roteiro: Jece Valadão. Elenco: Jece Valadão, Odete Lara, Ambrósio Fregolente, Angela Bonatti, Ribeiro Fortes, Ida Gomes, Sandra Menezes. Uma das primeiras adaptações para o cinema da peça de Nelson Rodrigues. Fiel ao texto original, o filme se concentra nos dilemas éticos do protagonista. Um rapaz dividido entre a possibilidade de enriquecimento fácil por meio de um casamento de conveniência e a fidelidade aos seus sentimentos por uma mulher da mesma classe social. Retirada de senha com 30 min de antecedência no local. 50 lugares.
Espaço de Convivência, Térreo.
Não recomendado para menores de 18 anos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, às 18h.

O Beijo no Asfalto, por Bruno Barreto
Brasil, 1981, 77 min, colorido. Direção: Bruno Barreto. Com roteiro de Doc Comparato e baseado na peça de teatro homônima de Nelson Rodrigues. Um desconhecido é morto ao ser atropelado por um ônibus e, agonizante, pede a um bancário que lhe de um beijo na boca. Este gesto é transformado em escândalo pela imprensa sensacionalista e o homem que cometeu o "crime" de beijar um agonizante passa a ser alvo de preconceito popular e também a ser investigado pela polícia, que começa a supor que o acidente tenha sido um assassinato. Retirada de senha com 30 min de antecedência no local. 50 lugares.
Espaço de Convivência, Térreo.
Não recomendado para menores de 16 anos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, às 22h.

Os Sete Gatinhos, por Neville D`Almeida
Brasil, 1980, 90min, Colorido. Direção: Neville D`Almeida. Roteiro: Neville D`Almeida e Gilberto Loureiro. Elenco: Antônio Fagundes, Ana Maria Magalhães, Lima Duarte, Cristina Aché, Ary Fontoura, Regina Casé, Thelma Reston, Sady Cabral, Sura Berditchevsky. O filme retrata a história da família Noronha e, em especial, de Silene. Ela é a caçula das cinco filhas de Dona Aracy e Seu Noronha. Colocada em um colégio interno, a garota acaba sendo acusada pelo assassinato de uma gata grávida, o que desencadeia uma série de acontecimentos dentro da família. Retirada de senha com 30 min de antecedência no local. 50 lugares.
Espaço de Convivência, Térreo.
Proibido para menores de 18 anos. Grátis.
Dia 5/5. Sábado, às 20h.

A Dama do Lotação, por Neville D`Almeida
Brasil, 1978, 111min, Colorido. Direção: Neville D`Almeida. Roteiro: Neville D`Almeida. Elenco: Sônia Braga, Nuno Leal Maia, Jorge Dória, Paulo Cesar Pereio. Carlos e Solange se amam desde jovens e se casam. Na noite de núpcias, Solange se recusa a fazer amor e ele a agride. A partir disso, Solange assume outro comportamento e começa uma rotina diária de seduzir homens em coletivos. Retirada de senha com 30 min de antecedência no local. 50 lugares. Espaço de Convivência, Térreo.
Proibido para menores de 18 anos. Grátis.
Dia 6/5. Domingo, às 2h.

INFANTIL

contação de histórias

FESTA DE HISTÓRIAS
Com Giba Pedroza. Narrações, poemas, adivinhas, trava-línguas e canções. Convivência. LIVRE - esta atividade será melhor aproveitada por todas as crianças. Grátis.
Dias 5 e 6/5. Sábado e domingo, às 12h e às 16h.


SESC BELENZINHO
Endereço: Rua Padre Adelino, 1000
Belenzinho – São Paulo (SP)
Telefone: (11) 2076-9700
www.sescsp.org.br /belenzinho

ESTACIONAMENTO
Para atividades gratuitas:
R$ 6,00 (1ª hora) + R$ 1,00 (p/hora) - (não matriculado)
R$ 3,00 (1ª hora) + R$ 1,00 (p/hora) - (matriculado no SESC - trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo/usuário). 

Fonte:SESC Belenzinho - Assessoria de Imprensa