Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Caminho da roça

Caminho da roça

Publicada em : 02/06/2017

Espetáculo retrata as lendas brasileiras e a cultura caipira

Roberto Oyá
Lá na roça, a festa junina é todo dia! Bolo de milho, canjica, histórias em volta da fogueira, moda de viola e ritmo marcado da catira são só alguns dos elementos que as Meninas do Conto levam para o palco do Teatro Alfa com a peça Caminho de Roça. Cheia de referências ao mundo caipira, o espetáculo venceu três categorias no Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem (Autor de texto original para Paulo Rogério Lopes e Simone Grande, Revelação para Antonia Matos e Espetáculo Infantil) e também foi premiada como Melhor Espetáculo de Incentivo à Cultura Popular pela Associação Paulista dos Críticos da Arte (APCA), um dos mais prestigiados prêmios de nossa cidade. Nesse tão esperado junho, em que a família toda se reúne esperando os arraiais, as quadrilhas e as comilanças, típicas das festas juninas, O Caminho da Roça faz parte dessa programação até o dia 25.

O espetáculo conta a aventura das comadres Maricota e Durvalina, que ao encontrar uma viola encantada se deparam com criaturas fantásticas do imaginário popular caipira, como a terrível Mula-Sem-Cabeça e o sapeca Saci-Pererê. Paralelamente, uma avó conta à sua neta a história desta viola e de como ela representa uma tradição que precisa ser preservada para sobreviver.

Além da narrativa, que revela aspectos importantes da cultura caipira do Brasil, como a culinária, música e vocabulário próprios, a importância da tradição oral também é reforçada na peça através da relação das personagens da avó com sua neta. “As crianças sempre ficam muito intrigadas sobre a possibilidade da existência destas lendas e criaturas. A peça diz que a resposta está na imaginação de cada um”, reforça Eric Nowinski, diretor da peça.

Habituado a trabalhar com animação e tecnologia no palco, o diretor diz que, em Caminho da Roça, os elementos têm que ser mais artesanais e rústicos. Ainda assim, há cenas de impacto visual guardadas para o público na montagem do espetáculo.

Simone Grande (que também recebeu indicação como melhor atriz para Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem) estabeleceu parceria com Antonia Matos, atriz, musicista e violeira, para contar (e cantar) histórias da cultura caipira. Esta experiência inspirou e motivou a criação de Caminho da Roça.

Carolina Bassi, figurinista e cenógrafa que trabalha com o grupo pela primeira vez, imprimiu uma imagem não convencional à paisagem rural em que se passa a história: o cenário é abstrato, pintado à mão pela própria artista, revelando o artesanato e a cultura popular do Brasil. Além de Carolina, também são parceiros de primeira viagem a cantora, pesquisadora e preparadora vocal Suzana Salles e o dramaturgo e diretor Paulo Rogério Lopes.

A diretora musical Nina Blauth assina  também a criação musical do espetáculo  ao lado de Simone e de Antonia Matos (atriz e musicista do espetáculo) recebeu indicação para o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem como melhor trilha originalmente composta. Nina trabalhou com As Meninas do Conto anteriormente, na pesquisa musical de As Velhas Fiandeiras. Letícia Doretto, da Cia Nau de Ícaros, assina a preparação corporal da peça.

Simone Grande conta que, além das referências tradicionais que se tem sobre a vida caipira, o grupo foi buscar inspiração no tradicional Festival do Saci, sediado em São Luiz do Paraitinga, interior de São Paulo. “Fomos numa palestra sobre a cultura caipira realizada justamente na época do Halloween, na perspectiva de contrapor essa data à cultura brasileira, valorizando nossa identidade. Não há figura mais emblemática para isso do que o Saci-Pererê”, diz a atriz.

Segundo Eric, a equipe também se encontrou com diversos contadores de histórias que falavam sobre a Mula, o Saci, a Caipora, o Curupira e outras figuras mitológicas do país que precisam ser preservadas.

Gabriela Romeu, jornalista especializada em infância, do jornal Folha de São Paulo:

“... A tecnologia em cena é a da palavra contada, cantada e encenada, por uma dupla de atrizes que, com um rico repertório de trejeitos e vozes ganha rapidamente a plateia nos papeis das comadres Maricota (Simone Grande bem caprichosa no jeito de andar) e Durvalina (Antonia Matos de olhar matreiro)...”.

“... Para brincar com o bordão repetido pela avó contadora de histórias, daria para dizer: “Pense numa dupla de atrizes boas”. Pensou? Pois então, elas são ainda melhores...”.


Dib Carneiro Neto, jornalista, crítico e colunista da revista Crescer:

“... A dramaturgia, assinada por Paulo Rogério Lopes e Simone Grande, é espertíssima, ágil, inteligente, cheia de, por assim dizer, reviravoltas ou mudanças de linguagem. No início, as duas atrizes (Simone Grande e Antonia Matos) surgem no palco como duas violeiras, depois viram as duas Comadres, depois essas personagens viram bonecas manipuladas pelas atrizes. Há também o momento do teatro de sombras e, ainda, a virada em que as duas personagens se transformam em avó e neta na cozinha da casa da primeira. E eis que assim as duas narrativas se encontram – a peça e a história dentro da peça, fazendo com que cada atriz dobre seu papel. É tudo muito dinâmico e muito bem escrito. Um casamento perfeito entre direção e dramaturgia. Fiquei muito bem impressionado pelo talento do trio de criadores – Simone, Eric e Paulo Rogério...”.

"... As duas atrizes dão banhos de talento e graça. Dominam a técnica de contadoras de histórias e a mesclam com interpretações incríveis e seguras, sem cair em estereótipos exagerados do mundo caipira. Simone Grande e Antonia Matos dão um show na prosódia interiorana. Nada sai do tom, nada pesa, nada fica exagerado e apelativo. E, puxa, como Antonia Matos canta bem!”.


Serviço
Caminho da Roça

Reestreiou dia 6 de maio, sábado, às 17h30h, na Sala B do Teatro Alfa: Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Santo Amaro, São Paulo-SP. Telefone: (11) 5693-4000. Capacidade: 204 lugares. Temporada: Sábados e domingos, às 17h30. Até 25 de junho. Duração: 50 minutos. Classificação: Livre. Ingressos: R$ 35,00 (inteira para adultos) e R$17,50 (meia para crianças, estudantes e maiores de 60 anos). Grupo Alfa: 50% de desconto funcionários devidamente identificados. Banco Alfa: 20% de desconto para clientes devidamente identificados. Assinantes do teatro Alfa: 10% de desconto. Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, Credicard e MasterCard), de segunda a sábado das 11h às 19h; e domingos das 11h às 17h. Os ingressos poderão ser retirados no próprio teatro no dia do espetáculo. Taxa de serviço de R$ 5,00 por ingresso adquirido para Sala A e R$ 2,00 para Sala B. Call Center Ingresso Rápido: (11) 4003-1212.
Roberto Oyá

Fonte:Arteplural Comunicação