Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Cidade Invertida

Cidade Invertida

Publicada em : 11/04/2017

Projeto idealizado pelo fotógrafo Ricardo Hantzschel comemora 10 anos

Divulgação
EVENTO INAUGURAL GRATUITO
dia 30 de abril, no Museu da Imagem e do Som (MIS), contará com Oficinas e demonstrações de fotografia artesanal no dia mundial do Pinhole.

PALESTRAS GRATUITAS E WORKSHOPS
acontecem até outubro de 2017 com Dirceu Maués, Eustáquio Neves, Rubens Matuck, Miguel Chikaoka, Cris Bierrenbach, Rosely Nakagawa e Fernando Lemos.

O Cidade Invertida é um grupo que reúne fotógrafos, educadores e artistas para elaborar ações culturais relacionadas à imagem a fim de torná-la uma ferramenta propulsora de cultura, conhecimento e cidadania. Seu símbolo de referência é um trailer, adaptado para operar como câmera obscura e laboratório fotográfico, imprimindo aos eventos educacionais um caráter itinerante.

Com cerca de 30.000 km percorridos desde 2006, o Cidade Invertida viu a necessidade de expandir sua área de atuação, promovendo também cursos, palestras e workshops em sua sede, inaugurada em 2016, um espaço de formação, pesquisa e acompanhamento de projetos autorais, situado no bairro da Vila Madalena, zona oeste de São Paulo.

Em 2017 o projeto, idealizado e coordenado pelo fotógrafo profissional Ricardo Hantzschel comemora 10 anos e promove o 1º Ciclo de Palestras e Workshops com o tema: A fotografia como princípio.

Este Ciclo trará artistas que reaproveitam fotografias ou as usam como princípio para suas investigações, sejam elas estéticas, conceituais e/ou educacionais.
O Ciclo irá contar com a participação de pessoas significativas e atuantes neste cenário: Dirceu Maués, Eustáquio Neves, Rubens Matuck, Miguel Chikaoka, Cris Bierrenbach, Rosely Nakagawa e Fernando Lemos, além de fotógrafos, artistas e pesquisadores que irão participar da programação este ano através de diversos cursos relacionados à imagem.

ABRIL
dia 30 – Evento inaugural 10 anos do Cidade Invertida - 1º Ciclo com Palestras e Workshops: a imagem como princípio. Oficinas e demonstrações pinhole com o trailer no Museu da Imagem e do Som (MIS) em Parceria com Mobgraphia.

MAIO
dia 6 – Oficina de fotografia pin hole com Ricardo Hantzschel
dia 18 – Palestra gratuita com Dirceu Maués
dias 19 e 20 – Workshop “Imaginário de luz e prata” (quimigrama) com Dirceu Maués.
dias 16, 23 e 30 – Curso “Camadas do tempo em goma bicromatada” com Fernando Fortes

JUNHO
dia 10 – Curso “Linguagem visual” com Ricardo Hatzschel
dias 09 E 10 – Curso “ Antotipo” com Beth Lee
dias 19 e 26 – curso “Antotipo” com Beth Lee
dia 22 – Palestra gratuita com Eustáquio Neves
dias 23 e 24 – Workshop “Estratégias de criação” com Eustáquio Neves

JULHO
dias 7 e 8 – Curso “Jardim fotográfico” (cianotipia) com Ligia Minami
dias 11, 18 e 25 – Curso “Camadas do tempo em goma bicromatada” – com Fernando Fortes
dias 17, 24 e 31 - Curso “Jardim fotográfico” (cianotipia) com Ligia Minami
dia 20 – Palestra gratuita com Miguel Chikaoka - “Fototaxia –
em busca do elo perdido”
dias 21 e 22 – Workshop “Brincando com a luz” com Miguel Chikaoka

AGOSTO
dias 11 e 12 – Curso “Colorização manual de fotografias”
com Maurício Sapata
dias 21 e 28 - Curso “Colorização manual de fotografias”
com Maurício Sapata
dia 24 – Palestra gratuita com Rubens Matuck
dias 25 e 26 – Workshop “fotografia e aquarela” com Rubens Matuck

SETEMBRO
dia 2 - Curso “Linguagem visual” com Ricardo Hatzschel
dias 4 e 11 - Curso “ O corpo da imagem:
conservação de suportes fotográficos”com Leandro Melo
dia 21 – Palestra gratuita com Cris Bierrenbach
dias 23 e 24 – Workshop “Mordançage” com Cris Bierrenbach
dias 29 e 30 – Curso “ O corpo da imagem: conservação de suportes fotográficos” com Leandro Melo

OUTUBRO
dias 17, 24 e 31 – Curso “Investigações em marrom van dyke” com Dayan de Castro
dia 19 – Palestra gratuita com Rosely Nakagawa e
Fernando Lemos
dias 20 e 21 – Workshop "O que pensa o curador ?" com Rosely Nakagawa

NOVEMBRO
dias 24 e 25 – Curso “Investigações em marrom van dyke” com Dayan de Castro

Sobre algumas atividades e participantes

Maio/2017
Dirceu Maués – Paisagens de luz e prata
Palestra quinta feira, 18 de maio das 19h30 às 21h
vagas: 50
investimento: gratuito
Workshop sexta feira, 19 de maio das 19h as 22h e sábado, 20 de maio, das 9h30 às 12h30
vagas: 15
investimento: R$ 300

Mestre em Artes pela Unversidade de Brasília e artista residente em Berlin/Alemanha e Haia/Holanda, foi vencedor de dois prêmios da Funarte e do Prêmio Brasil de Fotografia (2016) com um ensaio realizado em quimigrama.

Junho/2017
Eustáquio Neves – Estratégias de criação
Palestra quinta feira, 22 de junho das 19h30 às 21h
vagas: 50
investimento: gratuito
Workshop sexta feira, 23 de junho das 19h as 22h
sábado, 24 de junho, das 9h30 às 12h30 e das 14 às 17h
vagas: 16
investimento: R$ 400

Fotógrafo e videoartista, já expos seu trabalho em cinco continentes: África, Ásia, Europa, Americas do norte e do Sul. Pesquisa e desenvolve técnicas alternativas e multidisciplinares, manipulando negativos e cópias e também pesquisa as mídias eletrônicas incluindo a seqüência e o movimento. Seu trabalho tem sido amplamente divulgado em várias mostras e recebido prêmios e a consagração do público e da crítica.

Julho/2017
Miguel Chikaoka – Brincando com a luz
Palestra: quinta feira, 20 de julho das 19h30 às 21h
vagas: 40
investimento: gratuito
Workshop:  sexta feira, 21 de julho das 19h as 22h
sábado, 22 de julho, das 9h30 às 12h30 e das 14 às 17h
vagas: 18
investimento: R$ 350

Seus trabalhos transitam entre imagens, instalações e objetos de caráter conceitual que nascem da releitura cíclica do seu processo criativo, voltado à experimentação, pesquisa, reflexão e difusão do fazer fotográfico e seus desdobramentos. Sua prática educativa é pautada nas múltiplas possibilidades de leitura da luz. Em 2012, recebeu o Prêmio Brasil de Fotografia e a Comenda da Ordem do Mérito Cultural – MinC por sua contribuição à cultura brasileira.

Agosto/2017
Rubens Matuck – Fotografia e aquarela

Palestra quinta feira, 24 de agosto das 19h30 às 21h
vagas: 40
investimento: gratuito
Workshop sexta feira, 25 de agosto das 19h as 22h
sábado, 26 de agosto, das 9h30 às 12h30 e das 13h30 às 17h
vagas: 10
investimento: R$ 350

Artista plástico com 40 anos de carreira, tem diversas publicações e exposições realizadas nacionais e internacionalmente, sendo a mais recente, uma retrospectiva de sua produção no SESC Interlagos. Desenvolveu a pintura com Aldemir Martins, Otavio Araujo e Jorge Mori. A aquarela foi uma descoberta feita no ateliê de Sansom Flexor na década de 1970.

Setembro/2017
Cris Bierrenbach – Técnica artesanal Mordançage
Palestra quinta feira, 21 de setembro das 19h30 às 21h
vagas: 40
investimento: gratuito
Workshop sábado e domingo, 23 e 24 de setembro das 9h30 às 12h30 e das 13h30 às 16h30
vagas: 10
investimento: R$ 300

Desenvolve um trabalho artístico que inclui video, performance, instalação e pesquisa sobre técnicas de impressão fotográfica do séc. XIX, com ênfase na produção de daguerreótipos. Recebeu diversos prêmios, entre eles o Porto Seguro de Fotografia, Marc Ferrez de Fotografia e Arte Contemporânea da Funarte. Teve seus trabalhos exibidos internacionalmente em mais de 20 países e possui obras nas coleções do MASP, MAM-SP, MAC-SP e Maison Européenne de la Photographie.

Outubro/2017
Rosely Nakagawa – O que pensa o Curador?

Palestra com participação de Fernando Lemos quinta feira, 19 de outubro das 19h30 às 21h
vagas: 40
investimento: gratuito
Workshop sexta feira, 20 de outubro das 19h às 22h
sábado, 21 de outubro, das 9h30 às 12h30 e das 13h30 às 17h
vagas: 15
investimento: R$ 300

Graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, com especialização em Museologia (USP) e Comunicação e Semiótica (PUC/USP) é curadora e editora de fotografia; atuou em instituições culturais como Galeria Fotoptica, Casa da Fotografia Fuji e Galerias FNAC Bresil. Foi curadora de exposições nacionais e internacionais e leituras de portfólio nas principais instituições culturais do país.
Em anos recentes, fez a curadoria da mostra Tudo é Semente de Rubens Matuck no SESC INTERLAGOS, realizou a mostra Retrato Popular no Sesc Belenzinho SP, e a exposição “Os dias lindos” Fotografias Carlos Moreira, no espaço Cultural Armazém 11 Santos SP no qual é responsável pela gestão cultural desde a inauguração.

Ricardo Hantzschel, fotógrafo profissional, idealizador e coordenador do projeto, desenvolve pesquisa aprofundada com câmeras pinhole e processos históricos, utilizando estas técnicas para a criação de alguns de seus trabalhos pessoais. As imagens dos ensaios Cidade Casual e Cidade Múltipla, que hoje integram o acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo, lhe renderam o Prêmio Porto Seguro de Fotografia em 2003 e o o ensaio SAL, impresso em papel salgado, o Prêmio Funarte Marc Ferrez em 2014.

Em 2004, durante a 26ª Bienal Internacional de São Paulo, conheceu as belgas Christine Felten e Véronique Massinger, cujo trabalho na mostra era formado por enormes fotografias coloridas (3x1,5m) captadas com um trailer adaptado como câmera pinhole. Ao deixarem o Brasil, as artistas doaram o referido trailer a Ricardo, com a intenção de mantê-lo ativo no meio fotográfico.

Com experiência no ensino da fotografia em instituições como o Museu Lasar Segall, Centro Cultural São Paulo, Sesc Pompéia e a Faculdade de Fotografia Senac (Graduação e Pós Graduação), Hantzschel percebeu a oportunidade que se abria e investiu no trailer para criar o Cidade Invertida. O veículo foi reformado e adaptado para se tornar uma câmera obscura gigante e um laboratório tradicional preto-e-branco que poderia ser levado a qualquer lugar.

Em torno da presença simpática do trailer, o projeto expandiu-se, tendo como mote a passagem de conhecimento de forma lúdica e participativa. Através de jogos visuais, aparatos ópticos, processos históricos, câmeras artesanais (pinhole), descartáveis, ou celulares, a meta é desmistificar a imagem e mobilizar para um olhar criativo e consciente.

A fotografia é uma linguagem de caráter transversal e tem o potencial de mobilizar diferentes áreas do conhecimento. Afirmar o sujeito como criador da própria visualidade é contribuir para o despertar das sensibilidades e para a formação de cidadãos críticos em relação aos ícones do cotidiano.

Lidamos diariamente com uma produção imagética que valoriza, principalmente, o captar e partilhar das imagens, sendo estas consumidas, geralmente, de forma efêmera, veloz e descartável.
Pensando um pouco na “contramão” desta produção exaustiva, encontramos também autores que as produzem de forma mais lenta e reflexiva, apostando no tempo de amadurecimento, na gestão do registro como expressão e no discurso da própria subjetividade das imagens.
Com esse mote, o 1º Ciclo de Palestras e Workshops que comemora os 10 anos de atuação do Cidade Invertida, traz artistas visuais que reaproveitam fotografias ou as usam como príncípio para suas investigações, sejam elas estéticas, conceituais e/ou educacionais.
São criadores que prestigiam o gesto, as camadas de significação, a contemplação do referente, a edição que conduz ou resignifica a apreensão do espectador. Valores e procedimentos que são extremamente reconhecidos pelo Cidade Invertida e seus integrantes.


Maiores informações: sobre o 1º Ciclo de Palestras e Workshops que comemora os 10 anos do Cidade Invertida:
www.cidadeinvertida.com.br
(11) 3031.0092

Fonte:Flavia Fusco Comunicação