Cultura

Home/ Notícias Online/ Cultura/ Ilha do tesouro

Ilha do tesouro

Publicada em : 25/10/2016

Após 11 anos em cartaz, Ricardo Karman faz sua última temporada

MarceloLerner
MarceloLerner
Esta é a última oportunidade para crianças e adultos desfrutarem das aventuras de O Ilha do Tesouro, de Ricardo Karman.

Considerada a melhor montagem infantil interativa da cidade, o espetáculo finaliza sua trajetória de 11 anos consecutivos em cartaz no Teatro do Centro da Terra com temporada que vai de 13 de novembro a 11 de dezembro. As sessões são somente aos domingos, às 11 horas.

Com mais de 500 apresentações, desde sua esteia em 2005, O Ilha do Tesouro foi criado para proporcionar uma vivência conjunta. É um espetáculo itinerante e participativo que reúne os adultos e as crianças numa experiência real e emocionante por meio de jogos de aventura e de teatro. Para enveredar nessa divertida missão tem que ser no formato de duplas - uma criança junto com um adulto com quem tenha algum vínculo afetivo.

O público é o herói da história. Orientado pelos atores, cada um é protagonista nas cenas participando fisicamente dessa inesquecível aventura. O espetáculo começa numa taberna real, especialmente construída para o espetáculo, e percorre um grande “cenário-instalação”, passando por desafios de cordas e barro, escorregadores, infláveis, subterrâneos do teatro, palco, coxia, camarins e uma masmorra. Logo no início, as duplas se separam, e cada um segue com sua missão: os adultos tornam-se “terríveis” piratas que as crianças irão enfrentar em busca de um tesouro.

Durante uma hora e meia, os grupos percorrem caminhos paralelos, encontrando-se algumas vezes para confrontos com guerra de bolinhas, sequestros, torturas e lutas de espada. As crianças, neste percurso, devem superar medos e obstáculos, fugir do inimigo, enfrentar os piratas para, depois de muitas aventuras, encontrar finalmente o tesouro. Mas, muito mais do que um baú cenográfico cheio de ouro, balas ou doces, o tesouro (revelado apenas no final do espetáculo) é bastante verdadeiro e absolutamente surpreendente.

O tesouro encontrado pelas crianças é o carinho e a segurança de quem as acompanhou durante toda a jornada (pais, avós, tios, amigos, etc). Eles - o público - estiveram juntos na caça ao tesouro, um ao lado do outro, apoiando-se, tocando-se e brincando durante a viagem. Eis o verdadeiro tesouro que o diretor quis revelar: a aventura afetiva do relacionamento. Por isso é importante que as crianças compareçam ao teatro acompanhadas por alguém com quem tenham um vínculo especial.

O Ilha do Tesouro ganhou os prêmios APCA 2005 de Melhor Direção de Teatro Infantil e Coca-Cola Femsa 2005 de Melhor Produção. Também foi classificado pelo Guia Folha como um dos três melhores espetáculos infantis de 2005, além de ser cotado com quatro estrelas pela revista Veja São Paulo. Em 2014, a montagem participou como espetáculo convidado do MIRADA – Festival Internacional do SESC Santos.

O conflito não está no palco entre os atores, mas disseminado ao longo do trajeto, envolvendo o público de diversas formas. A Kompanhia do Centro da Terra tem fundamentado sua pesquisa no conceito do público-herói em 27 anos de história, com vários trabalhos notadamente participativos, espetáculos-viagem onde o público é o protagonista e o elenco, coadjuvante. A ideia é proporcionar situações reais para vivenciar com todo o corpo e não apenas contemplativamente, fruir a arte e o teatro de outro ponto de vista que não o da plateia.


Espetáculo: O Ilha do Tesouro
Temporada final: 13 de novembro a 11 de dezembro/2016
Horário: domingos, às 11 horas
Local: Teatro do Centro da Terra
R. Piracuama, 19 - Perdizes/SP. Te: (11) 3675-1595
Ingressos: R$ 120,00 (dupla – um adulto acompanhado de uma criança de 7 a 12 anos).
Ingresso individual: R$ 120,00 (adulto) e R$ 60,00 (criança)
www.compreingressos.com e na bilheteria do teatro (das 9h às 18h).
Duração: 1h40. Lotação: 30 duplas. Gênero: Teatro-aventura.
Classificação: recomendado para crianças de 7 a 12 anos
Desaconselhável: para grávidas, pessoas com deficiência física e visual, claustrofóbicos e pessoas que têm medo do escuro. Usar roupas e sapatos confortáveis.
Estreou em maio de 2005.
MarceloLerner

Fonte:VERBENA ASSESSORIA