Culinária

Home/ Notícias Online/ Culinária/ Itália – O País e Sua Cozinha

Itália – O País e Sua Cozinha

Publicada em : 09/12/2013

O livro apresenta um índice de receitas em português e um em italiano, além de um índice geral



Berço da cozinha europeia e reverenciada ainda nos dias de hoje pela qualidade de sua culinária, a Itália é um país de vasta diversidade cultural, com pratos, temperos e formas de apreciar uma refeição particulares a cada uma de suas regiões. Em Itália – O País e Sua Cozinha, Ingeborg Pils e Stefan Pallmer resgatam costumes e curiosidades históricas da gastronomia no país desde a Roma antiga, visitam osterias e restaurantes tradicionais, apresentam um panorama dos alimentos e das bebidas em várias regiões italianas, fornecem um apêndice com técnicas de preparo e bibliografia de pesquisa. O livro apresenta um índice de receitas em português e um em italiano, além de um índice geral.

Ricamente ilustrado, o livro combina história e gastronomia e traz receitas que marcam datas festivas, como os docinhos de Carnaval. Tendo surgido na época dos romanos com o nome de Saturnália, os bailes de máscaras foram incorporados à cultura cristã e passaram a se chamar Carnaval – festa na qual a comida desempenhava papel importante, como as friturinhas romanas e as tirinhas toscanas apresentadas no livro.

Com base na especialidade de cada região, o livro ensina saborosas receitas, transita pelas massas e pelos frutos do mar e contempla delícias tradicionais, como as pizzas, o queijo parmesão, as trufas brancas, o funghi porcini, o tomate seco, os antepastos, os sorvetes, o azeite de oliva, o aceto balsâmico e os vinhos.

As bebidas típicas italianas, vinho e água, recebem destaque na obra. Servidas indispensavelmente juntas, são parte integrante de uma boa refeição. Além das marcas de renome internacional (como a San Pellegrino), há uma infinidade de águas minerais regionais e locais na Itália. Os vinhos variam de acordo com a região, a ocasião e o orçamento: dos leves brancos borbulhantes até os vermelhos mais simples, como o Bardolino, o Valpolicella ou o Lambrusco, chegando aos tintos encorpados e aos densos vinhos doces, comparáveis aos melhores da Alemanha e da França.

Sabemos que os italianos também são mundialmente conhecidos por sua pouca paciência com turistas; por isso, para não transformar uma refeição agradável em mal-estar, o livro traz algumas dicas de como se comportar em um restaurante. Na Itália, por exemplo, não é costume se dirigir diretamente a uma mesa junto à janela, como em outros países europeus; é costume esperar o garçom na entrada, dizer quantas pessoas há no grupo e solicitar educadamente a mesa próxima à janela. E, quando chega a conta, não se deve vistoriar o cardápio para conferir quanto cada uma das partes gastou e pedir que o garçom divida a conta.

Fonte:Parceria6 Assessoria de Comunicação